pandemia

Catalunha muda contagem de casos do coronavírus e cobra transparência de chefes de estado

Presidente da Catalunha informa que só agora conseguiu reunir com fiabilidade os números e que o objetivo é ser transparente com a população

JC
JC
Publicado em 16/04/2020 às 14:36
Notícia
GETTY IMAGENS
"Nosso estudo demonstra que os pacientes pré-sintomáticos têm alto desprendimento de carga viral", concluíram os pesquisadores - FOTO: GETTY IMAGENS
Leitura:

Por Taíza Brito

A mudança de critério no registro dos casos de contágios e óbitos por covid-19 na Catalunha fez saltar alarmes em toda Espanha. Com a nova contabilidade, o número de mortos pela pandemia na região duplicou em apenas um dia, passando de 3.756 para 7.097 em 15 de abril. Isso porque agora o Departamento de Saúde incluiu nas estatísticas, além dos óbitos registrados em hospitais, as mortes ocorridas em residências de idosos, centros sociosanitários e domicílios particulares, dados estes coletados pelas funerárias. 

>> Pernambuco confirma mais 17 mortes e 199 casos de coronavírus; Estado tem 160 óbitos e 1.683 infectados

>> Pernambuco inaugura 40 vagas do novo Hospital Alfa para tratar pacientes com coronavírus

>> Pernambuco dará pensão integral a família de servidor que morrer no combate ao coronavírus

>> Número de mortos por coronavírus nos Estados Unidos passa de 30 mil

Os dados, já enviados ao governo da Espanha, mas ainda não agregados ao cômputo geral do Ministério da Saúde, levam a crer que no país o número de afetados pelo coronavírus pode estar sendo subnotificado. Até agora, foram contabilizadas 177.633 casos de pessoas infectadas, 18.579 falecidos e 70.853 recuperados em toda Espanha.

Em entrevista a jornalistas internacionais, o presidente da Catalunha, Quim Torra, informou que só agora conseguiu reunir com fiabilidade os números e que o objetivo é ser transparente com a população. Além disso, listou as demais 16 comunidades autônomas a procederem da mesma forma, para que se tenha um quadro global real da pandemia no país, em quarentena há um mês. Inclusive, o pedido para reunir dados os mais precisos possível partiu do próprio governo central, que ainda não informou se outras comunidades autônomas atenderam ao pedido e como irá tratá-los dentro da estatística geral.

Na entrevista com Quim Torra, através de videoconferência junto com jornalistas internacionais, foi perguntado ao presidente da Catalunha sobre a possibilidade de cobrar da Organização Mundial de Saúde (OMS) a estandardização da contagem internacional de dados. A outra pergunta foi que recomendações faria a pessoas de outras partes do mundo, como ocorre com parcela da população no Brasil, que ainda descumprem às orientações das comunidades médicas e científicas de prevenção ao covid-19.

Um dado para comparação: A Catalunha tem uma população de 7,6 milhões de habitantes, uma população semelhante à de Pernambuco. Com esses dados na mão, a taxa de óbitos, a dia de hoje situa-se em 92,5 vítimas fatais por cada 100 mil habitantes, em apenas um mês e meio de pandemia. Os dados de doentes também vêm aumentando sobremaneira, passando de 36.605 para 39.375 casos confirmados em um dia (513 infectados a cada grupo de 100 mil habitantes).

Com esses dados na mão, pode-se estimar que a letalidade da doença na Catalunha é das mais altas do mundo e estaria em torno ao 18% dos infectados: um de cada cinco casos detectados terminaria morrendo por causa da virose. Contudo tem ainda em torno 50 mil casos suspeitos que não foram confirmados por falta de testes de laboratório.

Assine a nova newsletter do JC e fique bem informado sobre o coronavírus

Todos os dias, de domingo a domingo, sempre às 20h, o Jornal do Commercio divulga uma nova newsletter diretamente para o seu email sobre os assuntos mais atualizados do coronavírus em Pernambuco, no Brasil e no mundo. E como faço para receber? É simples. Os interessados podem assinar esta e outras newsletters através do link jc.com.br/newsletter ou no box localizado no final das matérias.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o passo a passo de como lavar as mãos de forma adequada

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias