EUA

"A democracia prevaleceu", diz Joe Biden em discurso de posse

"Aprendemos outra vez que a democracia é valiosa. A democracia é frágil. E neste momento, meus amigos, a democracia prevaleceu", afirmou o novo presidente dos Estados Unidos

AFP
AFP
Publicado em 20/01/2021 às 18:33
Notícia
POOL / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP
Joe Biden falou por pouco mais de 20 minutos em sua posse - FOTO: POOL / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP
Leitura:

O presidente americano, Joe Biden, falou por pouco mais de 20 minutos em sua posse nesta quarta-feira (20), em Washington. Confira a seguir alguns trechos do seu discurso.

As eleições e a democracia 

É o dia dos Estados Unidos. É o dia da democracia, um dia de história e de esperança, de renovação e de resolução (...) Os Estados Unidos foram postos à prova uma vez mais, e os Estados Unidos responderam ao desafio.

Hoje, celebramos a vitória não de um candidato, mas de uma causa, a causa da democracia (...) A vontade do povo foi ouvida.

Aprendemos outra vez que a democracia é valiosa. A democracia é frágil. E neste momento, meus amigos, a democracia prevaleceu.

Drew Angerer / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP
O presidente eleito dos EUA, Joe Biden, bate com o punho na recém-empossada vice-presidente Kamala Harris depois que ela fez o juramento de posse na Frente Oeste do Capitólio dos EUA - Drew Angerer / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP
CHIP SOMODEVILLA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP
O presidente dos EUA, Joe Biden, parte após realizar uma cerimônia virtual de juramento para membros de sua nova administração - CHIP SOMODEVILLA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP
POOL / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP
A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, acena enquanto sai após a posse do presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, na Frente Oeste do Capitólio dos Estados Unidos - POOL / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP
JIM WATSON / AFP
O presidente dos EUA, Joe Biden, faz juramento em nomeações presidenciais durante uma cerimônia virtual - JIM WATSON / AFP
DOUG MILLS / POOL / AFP
O presidente dos Estados Unidos Joe Biden e a primeira-dama Jill Biden sobem a Pennsylvania Avenue em direção à Casa Branca em Washington, DC - DOUG MILLS / POOL / AFP
SAUL LOEB / POOL / AFP
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, toma posse como 46º presidente dos Estados Unidos - SAUL LOEB / POOL / AFP
OLIVIER DOULIERY / AFP
O ex-presidente dos EUA, Barack Obama, abraça o presidente dos EUA, Joe Biden, durante sua posse como 46º presidente dos EUA - OLIVIER DOULIERY / AFP
PATRICK SEMANSKY / POOL / AFP
O presidente dos EUA, Joe Biden (C), faz seu discurso de posse após ser empossado como 46º presidente dos EUA - PATRICK SEMANSKY / POOL / AFP
ANDREW HARNIK / POOL / AFP
Kamala Harris (L), com seu marido Second Gentleman Doug Emhoff, (C) é empossada pela juíza Sonia Sotomayor (R) como o presidente eleito dos EUA, Joe Biden, e como o 49º vice-presidente dos EUA pela juíza da Suprema Corte Sonia Sotomayor - ANDREW HARNIK / POOL / AFP
Jim WATSON / AFP
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, segura uma caneta enquanto se prepara para assinar uma série de ordens no Salão Oval da Casa Branca em Washington - Jim WATSON / AFP
CHIP SOMODEVILLA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP
O presidente dos EUA, Joe Biden, fala antes de conduzir uma cerimônia virtual de juramento para membros de sua nova administração - CHIP SOMODEVILLA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP
CHIP SOMODEVILLA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP
O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, se prepara para assinar uma série de ordens executivas no Resolute Desk no Salão Oval poucas horas após sua posse em 20 de janeiro de 2021 em Washington - CHIP SOMODEVILLA / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFP
Jim WATSON / AFP
O presidente dos EUA, Joe Biden, chega para jurar nomeações presidenciais durante uma cerimônia virtual - Jim WATSON / AFP

A invasão ao Congresso 

Estamos aqui apenas alguns dias depois de uma turba desenfreada achar que poderia usar a violência para calar a vontade do povo, para deter o trabalho da nossa democracia, para nos expulsar deste terreno sagrado. Nunca aconteceu. Nunca acontecerá. Nem hoje, nem amanhã, nem nunca.

 A pandemia 

Pouca gente na história da nossa nação enfrentou um desafio ou viveu uma época tão desafiadora ou difícil como a atual. Um vírus único em um século assedia silenciosamente o país. Cobrou tantas vidas em um ano quanto as que os Estados Unidos perderam na Segunda Guerra Mundial. Milhões de pessoas perderam seus empregos, centenas de milhares de negócios fecharam.

No trabalho que temos pela frente, vamos precisar uns dos outros. Precisamos da nossa fortaleza para perseverar durante este inverno obscuro.

Estamos entrando na que pode ser a fase mais dura e mortal do vírus. Devemos deixar de lado as ideias políticas e enfrentar esta pandemia como uma nação.

Justiça racial 

Um clamor pela justiça racial, iniciado há 400 anos, nos move. O sonho de justiça para todos não será mais adiado.

Podemos dar justiça racial e podemos tornar os Estados Unidos uma vez mais a força líder para o bem no mundo.

Sei que as forças que nos dividem são profundas e reais. Mas também sei que não são novidade. Nossa história tem sido uma luta constante entre o ideal americano, segundo o qual todos somos iguais, e a dura e feia realidade de que o racismo, o nativismo, o medo e a demonização nos separaram há muito tempo.

Um presidente para todos 

A política não tem que ser um fogo furioso que destrói tudo em sua passagem.

Todos os desacordos não devem conduzir a uma guerra total.

A todos os que não nos apoiam, deixem-me dizer isto: escutem-me enquanto avançamos. Avaliem a mim e o meu coração. Se continuam em desacordo, que assim seja. Isso é a democracia. Isso são os Estados Unidos.

O direito a discordar pacificamente, nos limites da nossa república, talvez seja a maior força da nossa nação. Mas ouçam-me bem, o desacordo não tem que levar à desunião.

E prometo-lhes uma coisa: serei o presidente de todos os americanos.

Devemos acabar com essa guerra incivilizada que confronta os vermelhos (republicanos) contra os azuis (democratas). O campo contra a cidade, os conservadores contra os liberais.

Podemos fazer isto se abrirmos nossas almas, ao invés de endurecer nossos corações. Se mostrarmos um pouco de tolerância e humildade.

Verdade e mentiras

Devemos rejeitar a cultura na qual os fatos são manipulados e, inclusive, inventados.

As últimas semanas e meses nos ensinaram uma lição dolorosa: há verdade e há mentiras.

E cada um de nós tem um dever e uma responsabilidade, como cidadãos, como americanos, e especialmente como líderes, líderes que prometeram honrar nossa Constituição e proteger nossa nação, defender a verdade e derrotar as mentiras.

Comentários

Últimas notícias