Economia

China tomará medidas após novas sanções dos EUA

Os Estados Unidos anunciaram na sexta-feira a imposição de sanções a 34 empresas e outras entidades relacionadas ao Exército e à política da China em relação à minoria uigur e por facilitar as exportações para a Rússia e o Irã

AFP
AFP
Publicado em 11/07/2021 às 16:58
Notícia
REPRODUÇÃO
O embate comercial e politico entre as nações está cada dia mais acirrado - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:

A China tomará as "medidas necessárias" em face da "repressão injustificada" dos Estados Unidos contra empresas chinesas acusadas de participar na "repressão" da etnia muçulmana uigur, declarou um porta-voz do Ministério do Comércio chinês.

"Os Estados Unidos estão mais uma vez usando a desculpa dos direitos humanos" para lançar uma "repressão injustificada" às empresas chinesas, disse o porta-voz.

>> China destrona EUA como primeiro parceiro comercial da UE

>> Biden anuncia 'volta da diplomacia americana' e reitera antagonismo à China

>> Disputa pelo 5G pode afetar custo da tecnologia no Brasil

"Tomaremos as medidas necessárias para defender com firmeza os direitos e interesses legítimos da China", enfatizou em um comunicado, denunciando "uma grave violação das regras econômicas e comerciais internacionais".

Os Estados Unidos anunciaram na sexta-feira a imposição de sanções a 34 empresas e outras entidades relacionadas ao Exército e à política da China em relação à minoria uigur e por facilitar as exportações para a Rússia e o Irã.

O grupo foi sancionado "por sua participação, ou risco de participação, em atividades contrárias à política externa e aos interesses de segurança nacional dos Estados Unidos", segundo o Departamento de Comércio americano.

Últimas notícias