REGIME TALIBÃ

Milhares de afegãos presos em "terra de ninguém" perto do aeroporto de Cabul

Milhares de afegãos permaneceram presos nesta quinta-feira (19) na "terra de ninguém", entre os postos de controle dos talibãs e a cerca instalada pelos americanos ao redor do aeroporto, a única maneira de eventualmente fugir do país

AFP
Cadastrado por
AFP
Publicado em 20/08/2021 às 0:15 | Atualizado em 20/08/2021 às 1:42
SHAKIB RAHMANI / AFP
Afegãos esperam embarcar em voos americanos - FOTO: SHAKIB RAHMANI / AFP
Leitura:

Milhares de afegãos permaneceram presos nesta quinta-feira (19) na "terra de ninguém", entre os postos de controle dos talibãs e a cerca instalada pelos americanos ao redor do aeroporto, a única maneira de eventualmente fugir do país.

As aglomerações se repetem em frente às embaixadas devido aos rumores que circulam de possíveis salvo-condutos para acesso ao aeroporto.

Enquanto forças americanas os talibãs lutam para controlar a entrada do aeroporto, informações veiculadas pelas redes sociais, e não confirmadas, falam de várias mortes.

Na terça-feira, "fui ao aeroporto com meus filhos e minha família", disse à AFP um homem que até recentemente trabalhava para uma ONG estrangeira. "Os talibãs e os americanos estavam atirando contra as pessoas, embora isso não tenha as impedido, porque sabem que algo pior do que a morte as espera".

Desde domingo, cenas de caos ocorreram no aeroporto depois que o regime talibã entrou em Cabul, no epílogo da ofensiva relâmpago que encerrou vinte anos de insurreição.

Houve verdadeiros momentos de angústia quando várias pessoas tentaram embarcar a qualquer custo em um avião militar C-17 Globemaster, agarrando-se nele no momento da decolagem.

Desde então, a ordem aparente voltou ao aeroporto, mas milhares de pessoas continuam presas entre os talibãs e os americanos, esperando ser evacuadas.

 Bloqueados na entrada 

Embora muitos tenham visto e garantam que lhes foi prometida evacuação, nem sequer conseguem entrar no aeroporto.

“Falei com um amigo que está lá. Ele tem uma carta dos espanhóis que garantem que ele pode sair com eles, mas quando ele tenta entrar no aeroporto eles ameaçam atirar nele”, declarou à AFP um homem que desejava manter o anonimato.

"Os espanhóis disseram a ele que se conseguisse entrar, tudo ficaria bem. Mas ele não consegue".

Os talibãs escoltaram alguns cidadãos, assim como afegãos. Mas a viagem para o aeroporto pode demorar várias horas, apesar da curta distância, e é muito complicada.

“Teve gente que bateu nas janelas do ônibus e tentou entrar”, diz uma mulher que conseguiu chegar ao aeroporto. "Os talibãs que estavam conosco estavam atirando para o alto para afastá-los."

Nesta quinta-feira, a desesperança crescia na área da embaixada. Milhares de pessoas gritavam para chamar a atenção de quem estava dentro.

"Eles me disseram que se eu colocasse meu nome, minhas informações e meu número de telefone em um pedaço de papel da embaixada da França, me evacuariam", disse um homem.

Um pedaço de papel ou uma caneta 

Sentadas na calçada, centenas de pessoas pedem um pedaço de papel ou uma caneta.

Washington acusou os talibãs de não honrarem suas promessas e impedirem a saída dos afegãos.

"Vimos relatos de que os talibãs, ao contrário do que declararam em público e do que prometeram ao nosso governo, está impedindo os afegãos que desejam deixar o país pelo aeroporto de Cabul", disse Wendy Sherman, número dois da diplomacia americana.

"Esperamos que eles permitam que todos os cidadãos americanos, cidadãos de outros países e afegãos que desejam deixar o país com segurança e sem serem assediados", acrescentou.

Comentários

Últimas notícias