represália

EUA matam dois líderes do Estado Islâmico, e Biden alerta para novos atentados no Afeganistão

Após a retaliação, o Pentágono acelerou a retirada de tropas americanas da cidade e o presidente Joe Biden alertou para o risco de novos atentados até terça-feira

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 28/08/2021 às 20:46
Notícia
DREW ANGERER / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP
Presidente dos Estados Unidos, Joe Biden - FOTO: DREW ANGERER / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / GETTY IMAGES VIA AFP
Leitura:
O ataque com drones na noite de sexta-feira (27) contra posições do Estado Islâmico-K no Afeganistão matou dois membros da cúpula do grupo que planejou o atentado contra o Aeroporto de Cabul. Após a retaliação, o Pentágono acelerou a retirada de tropas americanas da cidade e o presidente Joe Biden alertou para o risco de novos atentados até terça-feira, 31, último dia para os EUA deixarem o país.
O ataque ocorreu em Jalalabad, capital da província de Nangahar, na fronteira com o Paquistão. Moradores relataram ter ouvido explosões em um bairro da cidade. Segundo o Pentágono, os alvos eram "planejadores" do grupo, mas não estava claro o papel deles no atentado.
O ataque foi executado por um drone MQ-9 Reaper que decolou de uma base nos Emirados Árabes e atingiu um carro onde os dois militantes viajavam. Os alvos do ataque, segundo o Pentágono, planejavam novos ataques contra os Estados Unidos.
A três dias do prazo de 31 de agosto para a retirada do Afeganistão, o Exército americano começou a embarcar alguns de seus homens nos voos que estão deixando o Afeganistão. Ainda há 4 mil militares americanos em Cabul. Segundo o Pentágono, nos próximos dias, civis americanos e aliados afegãos continuarão podendo embarcar no aeroporto para deixar o país.
O Taleban disse no sábado (28) que prendeu dois membros do Estado Islâmico-K, mas se recusou a fornecer detalhes sobre se eles estavam envolvidos no atentado de quinta-feira. "Eles estão sendo investigados", disse o porta-voz do Taleban, Qari Muhammad Yousaf Ahmadi, ao The Washington Post.
O porta-voz do Taleban Zabihullah Mujahid disse que o grupo espera assumir o controle total do aeroporto de Cabul em breve, assim que as forças dos EUA partam, e anunciará um gabinete completo nos próximos dias.
Ele disse que funcionários já foram nomeados para administrar instituições importantes, incluindo os ministérios da Saúde Pública e da Educação e o Banco Central. Ele também disse esperar que a séria turbulência econômica que atingiu a moeda afegã diminua em breve.
Novo atentado
A Casa Branca afirma ter indícios de que o grupo planeja outros atentados suicidas. Os EUA e seus aliados têm poucos dias para concluir a retirada de civis e militares do país. Biden foi avisado nesta sexta-feira que deve esperar outro ataque letal nos últimos dias da operação.
Biden disse na tarde de sábado que a possibilidade de um novo ataque terrorista nos próximos dias é muito provável. O presidente também garantiu que a retaliação deste fim de semana não será a última contra o Estado Islâmico.
"Continuaremos caçando qualquer pessoa que estiver envolvida neste ataque cruel e a faremos pagar", declarou o presidente em comunicado. "Sempre que alguém buscar ferir os Estados Unidos ou nossas tropas, responderemos. Não há dúvidas quanto a isso."
Em meio ao temor de novos ataques, países europeus que fizeram parte da missão da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no Afeganistão concluíram a retirada de civis e militares.
Retirada
O último voo para retirada de civis do Reino Unido deixou Cabul, disseram autoridades neste sábado. A embaixadora da Grã-Bretanha no Afeganistão, Laurie Bristow, disse que as forças britânicas ajudaram quase 15 mil pessoas a deixar o país nas últimas duas semanas.
"É hora de encerrar esta fase da operação agora", disse Bristow em um vídeo, "mas não esquecemos das pessoas que ainda precisam ir embora e continuaremos a fazer tudo o que pudermos para ajudá-las."
No início do dia, o general Nick Carter, chefe das Forças Armadas britânicas, lamentou que o transporte aéreo em massa não tenha conseguido resgatar centenas de afegãos que poderiam vir para o Reino Unido.
"Não conseguimos trazer todo mundo e isso foi de partir o coração", disse ele a um programa de rádio da BBC. "Houve alguns julgamentos muito desafiadores que tiveram que ser feitos." O secretário de Defesa britânico, Ben Wallace, que havia dito anteriormente que a operação do país terminaria na sexta-feira, estimou que há até 1.100 afegãos elegíveis que "não conseguiram" embarcar nos voos.
 
WAKIL KOHSAR/AFP
SALDO Talibãs contabilizam 20 pessoas mortas e 52 feridas - FOTO:WAKIL KOHSAR/AFP
WAKIL KOHSAR / AFP
CONFLITO Desde que assumiram o poder no Afeganistão, os talibãs tentam provar regime menos brutal - FOTO:WAKIL KOHSAR / AFP
MINISTERO DELLA DIFESA / AFP
Esta fotografia divulgada e tirada pela assessoria de imprensa da Defesa Italiana em 22 de agosto de 2021 mostra soldados na pista, passando por passageiros que fugiram do Afeganistão, esperando para embarcar em um avião militar italiano no aeroporto de Cabul, para voar para Roma Fiumicino. MINISTERO DELLA DIFESA / AFP - FOTO:MINISTERO DELLA DIFESA / AFP
STRINGER / AFP
AFEGANISTÃO - FOTO:STRINGER / AFP
SAMUEL RUIZ / US CENTRAL COMMAND PUBLIC AFFAIRS / AFP
Soldados ajudam crianças no Afeganistão - FOTO:SAMUEL RUIZ / US CENTRAL COMMAND PUBLIC AFFAIRS / AFP
OMAR HAIDIRI / COURTESY OF OMAR HAIDIRI / AFP
Pais entregaram crianças a soldados no Afeganistão - FOTO:OMAR HAIDIRI / COURTESY OF OMAR HAIDIRI / AFP
NICHOLAS GUEVARA / US MARINE CORPS / AFP
Soldados ajudando crianças no Afeganistão - FOTO:NICHOLAS GUEVARA / US MARINE CORPS / AFP
AFP
Forças de segurança internacionais ajudam crianças no Afeganistão tomado pelos Talibãs - FOTO:AFP
AFP
Forças de segurança internacionais ajudam crianças no Afeganistão tomado pelos Talibãs - FOTO:AFP

Últimas notícias