ALERTA

Estados Unidos, Japão, Coreia do Sul e Holanda pedem que seus cidadãos deixem a Ucrânia

Há temor de invasão russa à Ucrânia. "Os cidadãos americanos devem sair agora", declarou o presidente dos EUA, Joe Biden, em entrevista

AFP
Cadastrado por
AFP
Publicado em 11/02/2022 às 15:44 | Atualizado em 11/02/2022 às 16:11
MANDEL NGAN/AFP
Biden disse que não enviará tropas para a Ucrânia, mesmo para resgatar americanos em caso de invasão russa - FOTO: MANDEL NGAN/AFP
Leitura:

Diante de uma possível invasão russa, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu nesta quinta-feira (10) que os cidadãos americanos deixem imediatamente a Ucrânia. Holanda, Japão e Coreia do Sul pedem o mesmo.

"Os cidadãos americanos devem sair agora", declarou Biden em entrevista à NBC News. "Estamos lidando com um dos maiores exércitos do mundo", alertou o presidente.

Biden reiterou que, em hipótese alguma, enviaria tropas para a Ucrânia, mesmo para resgatar americanos em caso de invasão russa. "Isso é uma guerra mundial. Quando americanos e russos começam a atirar uns nos outros, estamos em um mundo muito diferente", disse.

As autoridades ucranianas minimizaram nesta sexta-feira (11) as declarações do presidente dos Estados Unidos.

"Não há nada de novo nesta declaração", disse o ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba.

Dias atrás, o governo ucraniano já considerava exagerada a decisão de Washington de evacuar seu pessoal diplomático.

"Conhecemos a posição dos Estados Unidos, que já fez esse tipo de declaração antes", disse Kuleba a repórteres.

"Eles já começaram a evacuar parte de seus funcionários da embaixada e familiares. Esta declaração não mostra nenhuma mudança radical na situação", acrescentou.

A tensão entre Washington e Moscou está no nível mais alto desde a Guerra Fria. Líderes ocidentais recorreram à diplomacia para aliviar a situação, mas os comentários de Biden, assim como do Departamento de Estado, que também renovou sua advertência aos cidadãos americanos, podem elevar novamente a tensão.

"O que eu espero é que se (o presidente russo, Vladimir Putin) for insensato o suficiente para entrar, seja inteligente o suficiente para não fazer nada que possa afetar de forma negativa os cidadãos americanos." Biden assinalou que não precisaria comunicar isso a Putin: "Ele sabe."

 

Comentários

Últimas notícias