judeus

Federação Israelita pede esclarecimentos ao Colégio Santa Maria sobre episódio da saudação nazista por grupo de alunos

Foto de um grupo de alunos fazendo saudação nazista em sala de aula começou a repercutir nessa quinta-feira (5). A instituição de ensino pediu desculpas aos que se sentiram ofendidos e informou que medidas pedagógicas e educacionais foram tomadas

JC
JC
Publicado em 06/03/2020 às 18:00
Notícia
FOTO: TATO ROCHA/ACERVO JC IMAGEM
Comunidade judaica no Brasil tem aproximadamente 120 mil integrantes. O Recife abriga a primeira sinagoga das Américas - FOTO: FOTO: TATO ROCHA/ACERVO JC IMAGEM
Leitura:

Após um grupo de alunos do Colégio Santa Maria, localizado em Boa Viagem, Zona Sul do Recife, aparecer em uma fotografia fazendo saudação nazista em uma sala de aula, a Federação Israelita de Pernambuco (Fipe) informou que, em entendimento com a Confederação Israelita do Brasil (Conib), agendou uma reunião com a direção da instituição de ensino para tratar do episódio. Em nota divulgada nesta sexta-feira (6), a Fipe relatou que tomou conhecimento do fato com "profunda preocupação e indignação".

Na imagem, que começou a repercutir nas redes sociais nessa quinta-feira (5), um aluno vestindo um casaco preto aparece fazendo a saudação nazista no lugar destinado ao professor. Em pé, ao lado das cadeiras, outros alunos repetem o gesto na direção dele. O colégio aplicou medidas educativas aos envolvidos no caso, pediu desculpas aos que se sentiram ofendidos, e declarou que "não apoia nenhum comportamento que vá de encontro aos valores cristãos, éticos, cidadãos, à preservação da vida, ao respeito a todas as raças, povos e crenças".

Leia os comunicados do Colégio Santa Maria e Federação Israelita de Pernambuco:

Veja a íntegra da nota divulgada pela Federação Israelita de Pernambuco

Com profunda preocupação e indignação, tomamos conhecimento do fato ocorrido no interior do Colégio Santa Maria, em que um grupo de jovens estudantes ostentaram a saudação nazista diante de um deles, o qual se apresentava como líder nos moldes do führer genocida e ainda, entusiasmados com o feito, divulgaram foto e texto nas redes sociais.

Imediatamente, como de hábito, em entendimento com a Confederação Israelita do Brasil - Conib, sediada em São Paulo, buscamos um canal de comunicação com a direção do Colégio, ficando agendada uma reunião para tratar do assunto.

Esta é uma questão muita cara para a sociedade em geral e em particular para a comunidade judaica.

É preciso lembrar permanentemente a barbárie efetivada pela ideologia nazista no período da segunda guerra mundial, promovendo-se a reflexão sobre o assunto, para que não se permita que isso volte a acontecer.

Nesse sentido, em evento que acontece anualmente, definido pela ONU como Dia Internacional em Memória das Vítimas do Holocausto, com o propósito de relembrar e refletir sobre o assunto, neste ano, marcamos essa data em ato realizado na Assembleia Legislativa de Pernambuco, requerido pela Deputada Priscila Krause e presidido pelo Deputado João Paulo Lima e Silva.

Essas ideias abomináveis que atingiram judeus, mas também negros, ciganos, oposicionistas ao regime, testemunhas de jeová, comunistas, homossexuais, pessoas que apresentavam alguma deficiência ou distúrbio mental, não podem ser tratadas com complacência e consideradas banais. A apologia ao nazismo é crime no Brasil e, portanto, precisamos estar alertas aos sinais da sociedade no planeta e atuarmos em todas as instâncias para erradicarmos suas raízes.

A ONU e UNESCO diante da gravidade da questão, aprovaram resoluções voltadas para a importância da educação no sentido da prevenção de crimes de genocídio e atrocidade. Torna-se, como vemos, urgente implementar nas escolas o ensino sobre o holocausto, tema já incluído na Base Nacional Comum Curricular, desde 2018.

O conhecimento em geral e o da história da humanidade, em particular, constituem a base fundamental para a formação de cidadãos íntegros, independentes, críticos, regidos por valores humanistas como a solidariedade, a tolerância, o respeito às diferenças, a justiça social...

Colocamo-nos, portanto, à disposição para contribuir com o esclarecimento e a formação educacional daqueles envolvidos neste fato e toda comunidade escolar.

Recife, 6 de março de 2020

Leia a íntegra do comunicado divulgado pelo Colégio Santa Maria

O Colégio Santa Maria publicou um comunicado, na manhã dessa quinta-feira (5), afirmando que foi feita uma reunião com os pais e alunos e que as medidas pedagógicas e educacionais foram tomadas. A instituição declarou também que "não apoia nenhum comportamento que vá de encontro aos valores cristãos, éticos, cidadãos, à preservação da vida, ao respeito a todas as raças, povos e crenças".

Prezadas Famílias,

O Colégio Santa Maria não apoia nenhum comportamento que vá de encontro aos valores cristãos, éticos, cidadãos, à preservação da vida, ao respeito a todas as raças, povos e crenças. Informamos que, imediatamente, nos reunimos com Pais e Alunos e tomamos as medidas pedagógicas e educativas cabíveis. Em nome do Colégio, pedimos desculpas a todos aqueles que se sentiram ofendidos.

Atenciosamente,

a Direção.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias