covid-19

Em Petrolina, moradores fazem longa fila na calçada para comprar álcool em gel

Como o álcool em gel já está faltando em algumas farmácias da cidade, eles estavam aguardando a abertura de uma loja de produtos de higiene

Manuela Figuerêdo
Manuela Figuerêdo
Publicado em 20/03/2020 às 9:04
Notícia
BRENA SOUZA
Fila para comprar álcool em gel em Petrolina - FOTO: BRENA SOUZA
Leitura:

Nesta sexta-feira (20), na Avenida Barão do Rio Branco, na região central de Petrolina, moradores fizeram uma extensa fila na calçada para comprar álcool em gel. Como o álcool em gel já está faltando em algumas farmácias da cidade, eles estavam aguardando a abertura de uma loja de produtos de higiene que oferece esse produto. As informações são da repórter Brena Souza.

>>Já são 22 os infectados com coronavírus que viajaram com Bolsonaro aos EUA

>>Times brasileiros cedem estruturas para tratamento do coronavírus

>>Não são apenas os idosos: veja o perfil de casos do coronavírus em Pernambuco

Veja vídeo da fila

Atualização de casos em Petrolina

Em atualização nas redes sociais, na noite de quinta-feira, o prefeito Miguel Coelho (MDB) informou que seis casos suspeitos foram descartados, após a realização de testes laboratoriais. Agora, registra 13 casos suspeitos, 7 descartados e nenhuma confirmação. 

Com o novo decreto estadual, Petrolina terá as atividades no shopping center e feiras livres suspensas. Bares e restaurantes poderão comercializar produtos através de vendas em domicílio. O gestor também informou o início da disponibilização de merendas para creches e escolas municipais. Os kits alimentares já vão começar a ser entregues nesta sexta-feira, seguindo um esquema de escalonamento a ser divulgado pela Secretaria de Educação.

Casos no Brasil e em Pernambuco

Na última quinta-feira (19), no Brasil, o balanço do Ministério da Saúde confirmou 621 casos, além de 6 óbitos em decorrência da doença.  Já em Pernambuco, o Governo de Pernambuco, em coletiva de imprensa, anunciou que o Estado já conta com 28 casos confirmados do novo coronavírus.

O que é coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China.Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa.

A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

Como prevenir o coronavírus?

O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o coronavírus. Entre as medidas estão:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool.
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas.
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes.
  • Ficar em casa quando estiver doente.
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo.
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com freqüência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (mascára cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizado precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Confira o mapa de casos

Podcast

Neste episódio do podcast "O Fato É", Thiago Wagner e Leonardo Spinelli conversam com duas brasileiras que estão isoladas em Portugal por causa da quarentena, com Cinthya Leite, repórter especializada em saúde do Jornal do Commercio, que fala sobre histeria e fake news. Quem fala neste episódio, ainda, é a sanitarista Joana Freire, diretora executiva de vigilância à saúde do Recife.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias