COVID-19

Interiorização dos casos de coronavírus esbarra com escassez de leitos

Das 1,3 mil vagas criadas em Pernambuco para o enfrentamento à covid-19, apenas 336 ficam no interior do Estado

Amanda Rainheri
Amanda Rainheri
Publicado em 26/05/2020 às 21:07
Notícia
Foto: Jonas Santos/ Prefeitura de Petrolina
Em Petrolina, novos leitos de UTI foram abertos no Hospital Universitário - FOTO: Foto: Jonas Santos/ Prefeitura de Petrolina
Leitura:

Apontada como "inevitável" pelo ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, a interiorização dos casos do novo coronavírus (covid-19) é motivo de preocupação para as autoridades de saúde. Em Pernambuco, monitoramento realizado pelo Laboratório de Imunopatologia Keizo Asami (Lika) da UFPE aponta que o vírus chegou a municípios do interior através do principal eixo rodoviário do Estado: a BR-232. Embora os casos aumentem diariamente, a falta de estrutura, principalmente de leitos de UTI, para atender os pacientes nessas localidades, persiste.

>> Acompanhe as últimas notícias sobre o novo coronavírus

>> Casos de coronavírus caem pelo quarto dia seguido em Pernambuco; mortes voltam a subir

>> Cidades do Grande Recife em lockdown têm queda no isolamento de uma segunda-feira para outra

De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde (SES), das 1,3 mil vagas criadas em Pernambuco exclusivamente para o enfrentamento à covid-19, apenas 336 ficam no interior do Estado. Dessas, somente 113 são leitos de terapia intensiva. A promessa do governo é construir três hospitais de campanha nas cidades de Caruaru, Serra Talhada e Petrolina. As unidades estão sendo construídas em estruturas anexas a hospitais, mas a SES não foi informou nenhum prazo de quando elas devem entrar em funcionamento. 

Atrás da I Macrorregião de Saúde, que compreende principalmente os municípios da Região Metropolitana do Recife, as Regiões III e IV são as que apresentam mais casos graves da covid-19, com 389 registros de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) cada. Segundo a SES, a III Região conta apenas com 33 leitos voltados para a covid, sendo 8 de UTI. Já a IV tem 99 leitos na rede estadual, sendo 25 de UTI.

Dentro da IV Região, o maior número de casos de Srag registrados está em Caruaru, onde 134 pessoas apresentaram a forma grave da doença. Secretário de saúde do município, Francisco Santos afirma que Caruaru se preparou para a chegada da doença antes da primeira confirmação. "A gente se antecipou, com um plano de contingência de quatro fases. Estamos trabalhando como se a rede estivesse mais estressada do que ela realmente está", afirmou.

Em Caruaru, a rede municipal não tem leitos de UTI. A gestão municipal conta com cerca de 85 leitos de retaguarda e outros seis semi-intensivos, distribuídos entre as quatro UPAs (sendo uma específica para problemas respiratórios) e o Hospital Municipal Manoel Afonso. O número de ventiladores respiratórios subiu de 22 para 33 e atualmente 12 estão disponíveis. A taxa de ocupação da rede municipal é de 75%.

Dos 72 casos confirmados no município de Gravatá, 46 apresentam a forma grave da doença. Assim como Caruaru, não existem leitos de UTI na rede municipal. De acordo com o secretário de Saúde Luiz Melo, há 5 leitos semi-intensivos para atendimento de casos do novo coronavírus. Na tarde desta terça-feira (26), nenhum estava ocupado. A rede municipal conta ainda com 30 leitos de enfermaria de baixa complexidade, mas as estruturas, que estão prontas, não estão em funcionamento, porque esperam contratações de profissionais.

Dos 33 casos graves da covid registrados na VIII Região de Saúde até esta terça-feira, 27 estavam no município de Petrolina, no Sertão. De acordo com a prefeitura, foram abertos 10 leitos de UTI exclusivos para covid-19 no Hospital Universitário (HU), além de 100 vagas de enfermaria. Foram contratados 35 profissionais exclusivos para esses leitos e existe cadastro reserva com mais 159 profissionais. Assim, o município tem 21 leitos leitos de UTI no HU (dois ocupados); 20 vagas no Hospital Dom Malan (do Estado), além de 51 leitos de UTI na rede privada, sendo 20 desses já disponibilizados para pacientes do SUS, em caso de necessidade. Novos leitos serão construídos no HU e na Policlínica da Univasf. A expectativa é chegar até a 322 vagas de UTI e retaguarda na cidade.

Na VI Região de Saúde, 71 casos graves da doença haviam sido registrados. Desses, 28 estão em Arcoverde, também no Sertão. No município, um hospital de campanha foi montado e é mantido pela gestão, com 31 leitos destinados a pacientes com as formas leve e moderada da doença. O Hospital Regional de Arcoverde teve capacidade ampliada, passando a ofertar 16 leitos para o tratamento da covid-19, sendo cinco leitos de enfermaria adulto, um leito de estabilização pediátrica, dois leitos de enfermaria pediátrica e oito leitos de UTI. De acordo com a gestão, todos os novos leitos de UTI estão ocupados.

Se as estradas são os meios de propagação da covid, o município de Salgueiro, no Sertão, enfrenta duplamente o problema. Localizado no encontro entre a BR-232 e a BR-101, o município reúne quase todos os casos graves da região (37 dos 39 registros). A cidade tem três hospitais: um regional (Hospital Regional Inácio de Sá), que atende 7 cidades; um particular e um hospital de campanha municipal, preparado para receber pacientes leves e moderados da covid-19, com 24 leitos de enfermaria. A rede pública conta com apoio de seis leitos de retaguarda na rede privada.

Insumos

Em nota, o Governo de Pernambuco afirmou que tem monitorado o abastecimento e os estoques de equipamentos de proteção individual (EPIs) e efetuado a compra de insumos para unidades de saúde de todo o Estado. O governo destacou ainda que das 6 mil vagas abertas para profissionais da saúde, entre convocação de concursados da SES-PE e seleções para a UPE e para a secretaria de Saúde, quase 700 vagas foram para unidades e serviços do interior do Estado.

Atende em Casa

Já o Atende em Casa, ferramenta lançada pelo Governo do Estado com o objetivo de passar orientações para a população com sintomas gripais, já atingiu a marca de 100 municípios pernambucanos contemplados. Mais de 70% da população pernambucana já tem acesso à iniciativa.

O Atende em Casa conta com profissionais de saúde que orientam os usuários sintomáticos, seja para manter o isolamento domiciliar ou, após uma teleorientação feita por profissional de saúde, fazer a busca qualificada por um serviço de saúde mais próximo da sua casa. O aplicativo, disponível pelo site www.atendeemcasa.pe.gov.br e para smartphones com sistema Android, permite que médicos, enfermeiros ou residentes médicos façam videochamadas e orientações aos usuários.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias