operação

Polícia mira organização criminosa envolvida com tráfico de drogas no Grande Recife

Estão sendo cumpridos três mandados de prisão e quatro mandados de busca e apreensão domiciliar

JC
JC
Publicado em 25/08/2020 às 7:43
Notícia

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Na execução, estão sendo empregados 35 policiais civis - FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Leitura:

A Polícia Civil de Pernambuco desencadeou, na manhã desta terça-feira (25), a 39ª Operação de Repressão Qualificada do ano, denominada "Ártemis", que vira desarticular integrantes de uma organização criminosa atuante nos bairros do Cordeiro e Iputinga, Zona Oeste do Recife. Foram cumpridos três mandados de prisão e quatro mandados de busca e apreensão domiciliar, todos expedidos pela 19ª Vara Criminal de Recife. Durante as buscas, no entanto, foi realizada a prisão em flagrante de um quarto acusado.

Das quatro pessoas investigadas, uma delas é o líder da associação criminosa, que comanda as práticas do tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e homicídios. Outras três são participantes da associação. Dentre estas, duas realizavam a venda das drogas e eram diretamente ligadas ao líder, enquanto uma faz o transporte de drogas para o líder e era intermediária entre os usuários de maconha e os traficantes.

A investigação foi iniciada em julho de 2019, com o objetivo de identificar integrantes e desarticular uma organização criminosa voltada à prática do crime de tráfico de drogas. "A investigação começou a partir de uma denúncia de que um grupo armado se encontrava em uma localidade próxima à Delegacia. A equipe foi fazer incursão, mas, ao abordamos, o pessoal entrou pelo rio", contou o delegado João Gustavo, titular da Delegacia de Polícia do Cordeiro.

Na incursão, foram apreendidos quatro revólveres e uma espingarda calibre 12, e a quadrilha foi identificada. "É um grupo que já vinha praticando essa atividade criminosa há algum tempo, trabalhando com maconha e crack, basicamente, e tinham uma força muito grande por disputa de terreno, chegando a planejar e cometer homicídios naquela região", disse o delegado.

A operação é vinculada à Diretoria Integrada Metropolitana (DIM), sob a presidência do Delegado João Gustavo Godoy, Titular da Delegacia de Polícia da 6ª Circunscrição. 

Para Antônio Barros, gestor da DIM, a execução da operação teve êxito na repressão ao tráfico de drogas e também contra crimes de homicídio. "A polícia civil tem feito diversas investigações com foco na repressão ao tráfico de drogas porque a gente acredita que, combatendo o tráfico, você está combatendo o crime de homicídio, também, que muitas vezes acontece por causa da rivalidade entre facções criminosas por briga de território", afirmou.

As investigações devem continuar, sendo o delegado Bruno Varejão, titular da DESEC do Espinheiro. "AS investigações continuam, a Polícia Civil está realmente passando uma lupa naquela localidade com o sentido de buscar combater os CVLIs (Crimes Violentos Letais Intencionais) [cometidos] por causa da disputa por liderança do tráfico de drogas", garantiu.

Na execução, estão sendo empregados 35 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães. As investigações foram assessoradas pela Diretoria de Inteligência da Polícia Civil de Pernambuco (DINTEL).

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias