feminicídio

Uma semana após separação, homem mata ex-namorada e ex-sogra em Olinda

Poucas horas antes do crime, Talita Ribeiro pediu ajuda pelas redes sociais e contou que o ex Giovane Pires estava ameaçando sua família

JC
JC
Publicado em 28/08/2020 às 10:51
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Manchas de sangue e móveis revirados são registros da violência sofrida - FOTO: BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Leitura:

Um caso de feminicídio duplo chocou e revoltou a população no bairro de Fundão, em Olinda. Um homem identificado como Giovane da Silva Pires, de 28 anos, matou a ex-namorada, Talita Rebeca de Moraes Ribeiro, 32, e ex-sogra, Rosane de Moraes Ribeiro, 54, na noite dessa quinta-feira (27). O homem entrou na casa das vítimas pelo telhado e ateou fogo nos cômodos. Em seguida, desferiu golpes de faca na cabeça das mulheres, que gritaram pedindo socorro.

A Polícia Militar de Pernambuco (PMPE) foi acionada e deteu o agressor dentro da residência. A Polícia Civil de Pernambuco (PCPE) informou que, ao chegar ao local, ainda em chamas, os militares encontraram o suspeito com ferimentos no corpo, próximo a um vasilhame de gasolina. "Durante conversa, ele disse que havia cometido o crime e tinha tomado veneno", disse, em nota. O homem foi autuado em flagrante e levado ao Hospital da Restauração, no Derby, área central da capital, onde permanece sob custódia. Os peritos encontraram a faca escondida no teto da casa.

» Homem põe fogo em dois veículos em frente à casa da ex-mulher, no Grande Recife

» Quarentena aumenta demandas e impacta saúde mental de mulheres mães

» Mulheres vítimas de violência terão prioridade de matrícula escolar em Caruaru

Talita Rebeca trabalhava como vigilante e estava separada de Giovane há uma semana. Poucas horas antes do crime, ela pediu ajuda pelas redes sociais e contou que o homem estava ameaçando sua família.

BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Manchas de sangue e móveis revirados são registros da violência sofrida - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Manchas de sangue e móveis revirados são registros da violência sofrida - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Manchas de sangue e móveis revirados são registros da violência sofrida - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Manchas de sangue e móveis revirados são registros da violência sofrida - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Manchas de sangue e móveis revirados são registros da violência sofrida - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Manchas de sangue e móveis revirados são registros da violência sofrida - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Manchas de sangue e móveis revirados são registros da violência sofrida - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Manchas de sangue e móveis revirados são registros da violência sofrida - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM
Manchas de sangue e móveis revirados são registros da violência sofrida - BRUNO CAMPOS/JC IMAGEM

Manchas de sangue e móveis revirados são registros da violência sofrida - marcas que ainda eram visíveis na manhã desta sexta-feira (28), quando a TV Jornal visitou o local.

Os vizinhos ouvidos pela reportagem contaram que o suspeito chegou a atear fogo na moto e no carro da ex-namorada e tentou provocar uma explosão de gás após cortar a mangueira do botijão da casa.

Os corpos das vítimas foram levados ao Instituto de Medicina Legal (IML). O caso foi encaminhado para a 2ª DPH.

Comentários

Últimas notícias