PANDEMIA

Governo de Pernambuco descarta, por enquanto, fechar praias e diz que vai reforçar fiscalização em estabelecimentos

Secretária de Justiça informou que 212 estabelecimentos comerciais foram fiscalizados nos últimos 60 dias e 17 foram interditados

Carolina Fonsêca
Carolina Fonsêca
Publicado em 22/12/2020 às 18:37
Notícia

ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
A praia de Gaibu, no Cabo de Santo Agostinho, neste domingo, estava lotada, e pouquíssimas pessoas usavam máscaras - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

Registrando a quinta semana seguida de alta nos indicadores da pandemia do novo coronavírus, Pernambuco terá fiscalização em estabelecimentos comerciais reforçadas. Pelo menos por enquanto, o governo do Estado descarta retroceder etapas do Plano de Convivência com a Covid-19, eliminando a possibilidade de fechar as praias durante as festas de fim de ano, mas garante que fechará o cerco no que diz respeito ao cumprimento dos protocolos de higiene e distanciamento, principalmente em bares e restaurantes. 

>> Pernambuco tem quinta semana seguida de aumento de casos de covid-19

>> Pernambuco tem nesta terça (22) o 4º dia com mais confirmações de casos da covid-19 desde início da pandemia

Durante a coletiva de imprensa transmitida ao vivo pela internet, na tarde desta terça-feira (22), os secretários estaduais de Saúde, André Longo, de Justiça, Pedro Eurico e de Defesa Social, Antônio de Pádua, pediram conscientização da população. A semana epidemiológica 51 registrou 855 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag), um aumento de 16% em relação à semana 50 e de 19,9% em relação à semana 49, ou seja, em 15 dias. A procura por leitos também cresceu no Estado.

"Vem acontecendo, em alguns lugares, aglomeração de pessoas em bares e restaurantes, além de festas em áreas abertas. O protocolo do governo é claro: não podemos permitir que pessoas frequentem bares e restaurantes com música ao vivo, dançando sem máscara", disse Pedro Eurico, secretário de Justiça de Pernambuco.

Segundo Eurico, 212 estabelecimentos comerciais foram fiscalizados nos últimos 60 dias e 17 foram interditados, sendo dois reincidentes. "Depois de reabertos, depois de aplicada a multa, insistiram na mesma prática. Um foi fechado e não vai reabrir mais porque as pessoas têm que entender que o governo tem todo o interesse de que o lazer, atividade lúdica, de passeio, descanso, de pessoas estarem em bares e restaurantes funcionem, mas não pode se colocar em risco a vida das pessoas. Não vamos abrir mão disso", acrescentou.  

O secretário afirmou ainda que neste período de fim de ano, medidas mais fortes no sentido de proibir abusos em relação às medidas de prevenção serão tomadas. Ele também pediu aos frequentadores de bares e restaurantes que cumpram os protocolos e recomendou que as pessoas se congratulem dentro de suas casas durante as festas de Natal e Ano Novo. 

Reforçando o que foi colocado por Pedro Eurico, o secretário de Defesa Social, Pedro Eurico, também afirmou que as fiscalizações serão intensificadas para manter o controle e reduzir a transmissão do vírus em Pernambuco.  

A possibilidade de fechamento das praias foi levantada por uma pergunta feita ao secretário Antônio de Pádua, durante a coletiva, mas ele negou que existe essa intenção no momento. "A princípio não há sinalização para o fechamento das praias", disse e acrescentou que a fiscalização das praias é de responsabilidade municipal, mas que o Estado faz recomendações se necessário, o que não é o caso. 


Comentários

Últimas notícias