BOMBEIROS

Corpo é encontrado no rio Tejipió, no Recife, onde mulher teria sido jogada; familiares reconhecem vítima

Dione Gomes da Silva era procurada pelo Corpo de Bombeiros desde domingo

JC Vanessa Moura
JC
Vanessa Moura
Publicado em 05/01/2021 às 12:19
Notícia
DAY SANTOS/JC IMAGEM
Instituto de Criminalística, o Instituto Médico Legal (IML) e a Força Tarefa estão no local para finalizar a ocorrência - FOTO: DAY SANTOS/JC IMAGEM
Leitura:

Atualizada às 21h01

O Corpo de Bombeiros de Pernambuco localizou um corpo em um braço do Rio Tejipió, na comunidade conhecida como Rabo da Lacraia, no Recife, no fim da manhã desta terça-feira (5). Desde domingo (3), estavam são feitas buscas no rio com o intuito de localizar uma manicure identificada como Dione Gomes da Silva, que teria sido jogada da Ponte Motocolombó, que liga a Zona Sul ao Centro da capital pernambucana. O principal suspeito do crime é o namorado da vítima.

>> Namorado suspeito de jogar manicure no Rio Tejipió, no Recife, se entrega à polícia

Além do Corpo de Bombeiros, que achou o corpo, o Instituto de Criminalística, o Instituto Médico Legal (IML) e a Força Tarefa estiveram no local para finalizar a ocorrência. "O corpo da vítima já estava em estado avançado de decomposição. Constatamos duas lesões de arma branca fatais no pescoço, que foram, provavelmente, provocadas por facadas. Provavelmente ela já estava morta quando foi arremessada ao rio, mas só exames feitos pelo IML poderão confirmar isso", explicou o perito criminal Victor Sá Leitão.

No início da tarde, três familiares confirmaram que o corpo achado é o da manicure. "Reconheci pelo dedinho do pé, pelas unhas pintadas, como era Réveillon, e pelas mechas no cabelo. Ela também estava com um brinquinho, do lado da facada, que também reconheci. Não tenho dúvidas que é Dione", disse um parente, que preferiu não se identificar, em entrevista à TV Jornal.

Ainda segundo o parente, a família nunca imaginou que o suspeito pudesse ser capaz de cometer este delito contra a vítima. "Ele chegou muito bom, não parecia que iria fazer isso. Ela dizia que ele era ciumento, que tinha ciúme até do sorriso dela, mas fazer o que ele fez, ninguém esperava", contou.

Aos prantos, o parente da vítima desabafou sobre a importância que a manicure tinha em sua vida. "Dione era muito especial para mim, muito mesmo. Nós vivemos muitas coisas juntas. Eu achava que ela ia morrer de doença, mas desse jeito nunca imaginei na minha vida. Só quero agora justiça, porque ela era uma guerreira, não merecia isso. Nenhuma mulher merece, nenhum ser humano, principalmente Dione", concluiu.

As buscas no rio foram iniciadas no domingo (3), das 16h às 18h. Na segunda (4), o trabalho do Corpo de Bombeiros, que contou com equipes da unidade tática de mergulho e patrulha fluvial, teve início às 8h e se encerrou às 17h. A filha e o ex-marido da vítima acompanharam as buscas. As equipes retomaram os trabalhos nesta terça-feira (5), com o uso de dois botes, cinco militares e um helicóptero.

Prisão do namorado

O suspeito de assassinar e jogar o corpo de Dione Gomes da Silva se apresentou ao Departamento de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP), localizado no bairro do Cordeiro, Zona Oeste da capital, na tarde desta terça-feira (5). O namorado da vítima, que é mototaxista, chegou à delegacia acompanhado do advogado momentos depois que um corpo, identificado como sendo da manicure, ter sido encontrado pelo Corpo de Bombeiros.

O homem recebeu voz de prisão e foi autuado em flagrante pelos crimes de feminicídio e ocultação de cadáver. No final da tarde, ele foi encaminhado ao Instituto de Medicina Legal (IML) para realizar o exame de corpo delito. Na saída do suspeito, um tumulto foi registrado na delegacia quando populares que estavam no local tentaram linchar o mototaxista.

O homem deverá retornar para o DHPP, onde permanecerá aguardando pela audiência de custódia online, que acontecerá na quarta-feira (6). A polícia segue colhendo depoimentos de amigos e familiares de Dione, com o objetivo de entender a dinâmica do relacionamento e o que pode ter acontecido na noite em que a manicure foi morta.

Investigação

Segundo o delegado Sérgio Ricardo, a Polícia Civil "está somando todos os esforços possíveis, dando prioridade ao caso para esclarecer o mais rápido possível qual a autoria, circunstância e motivação do delito". Além disso, o órgão afirmou que está trabalhando com diversas linhas de investigação.

"Não descartamos nenhuma hipótese. A gente está investigando quem foi citado, uma testemunha principal diz que um individuo foi a pessoa que teria chamado para socorrer a vítima, que pode ser Dione. Estamos instruindo um inquérito nesse sentido, não descartando nenhuma possibilidade. Vamos investigar até chegarmos à autoria, circunstância e motivação, para responsabilizar o criminoso desse bárbaro crime", declarou o delegado.

O caso

De acordo com familiares e amigos de Dione, ela foi vista pela última vez às 22h do sábado (2), quando saiu de sua casa, no bairro de Monte Verde, em Jaboatão dos Guararapes, em direção à casa do namorado, na Imbiribeira, Zona Sul do Recife.

Ainda segundo a família, a informação recebida é que o namorado da mulher, identificado apenas como Maurício, teria ligado para um parente pedindo para socorrer Dione, que estaria ensanguentada. Ao chegar na Ponte Motocolombó, ele teria solicitado a parada do carro e em seguida jogado a vítima no rio. Ainda não se sabe se Dione foi jogada viva ou morta.

"Ele chegou aqui, bateu na janela e disse que a esposa estava passando mal. Eu imediatamente acordei, peguei o carro, coloquei na beira do portão. Ela estava deitada, com as costas pro chão, um pano branco coberto. Porque ele disse que ela teve um derrame, caiu, bateu a cabeça e ficou sangrando. Aí eu pensei que estava desmaiada", explicou um parente do suspeito, que não terá identidade revelada.

Ainda segundo ele, após colocarem Dione no carro, o suspeito foi até a casa e pegou um balde com alguns lençóis sujos de sangue, e então saíram em direção à Policlínica de Afogados.

"Quando chegou ali na ponte ele falou 'para o carro aí, pô', eu questionei 'pra quê parar?' e ele disse que era pra jogar os panos com sangue. Aí eu parei, mas com medo dele estar com alguma arma ali, alguma coisa. Ele realmente jogou o balde, mas depois abriu a porta de trás do carro e pediu ajuda pra pegar ela", conta a testemunha.

"Eu falei que o hospital estava bem pertinho, falei 'vamos levar pro hospital, por favor', aí ele mesmo pegou ela e jogou dentro da maré. Eu fiquei totalmente paralisado", revelou a testemunha, bastante abalada, em entrevista à Rádio Jornal.

Peritos do Instituto de Criminalística e policiais do DHPP foram acionados e passaram a manhã da segunda-feira na casa do suspeito. No local, havia sangue e móveis revirados. O veículo que teria sido utilizado para levar Dione até a ponte está no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) para perícia, e o suspeito desaparecido.

Segundo a filha da vítima, que não terá a identidade revelada, a mãe tinha um relacionamento com o suspeito há apenas nove meses, marcado por ciúmes. "Ele não deixava ela fazer nada. Até um riso que ela desse incomodava ele, chegou ao ponto até de ela terminar com ele, mas como ela tinha o coração mole, ela voltou com ele", falou.

Agora, o que restam são as lembranças dos planos que mãe e filha fizeram para 2021. "Me lembro que a última vez que a gente conversou, ela estava lá em casa deitada na minha cama, e disse que ia construir uma casa atrás da minha para que a gente pudesse viver mais perto uma da outra", contou a filha da vítima.

Confira fotos do resgate do corpo: 

DAY SANTOS/JC IMAGEM
Um corpo encontrado no Rio Tejipió nesta terça-feira (5) foi encaminhado ao IML, onde deverá passar por uma perícia para confirmar a identidade da vítima - DAY SANTOS/JC IMAGEM
DAY SANTOS/JC IMAGEM
Corpo da manicure Dione é encontrado no rio Tejipió na manhã desta terça. - DAY SANTOS/JC IMAGEM
DAY SANTOS/JC IMAGEM
Corpo da manicure Dione é encontrado no rio Tejipió na manhã desta terça. - DAY SANTOS/JC IMAGEM
DAY SANTOS/JC IMAGEM
Corpo da manicure Dione é encontrado no rio Tejipió na manhã desta terça. - DAY SANTOS/JC IMAGEM
DAY SANTOS/JC IMAGEM
Corpo da manicure Dione é encontrado no rio Tejipió na manhã desta terça. - DAY SANTOS/JC IMAGEM
DAY SANTOS/JC IMAGEM
Corpo da manicure Dione é encontrado no rio Tejipió na manhã desta terça. - DAY SANTOS/JC IMAGEM
DAY SANTOS/JC IMAGEM
RIO Durante 3 dias, Corpo de Bombeiros faz buscas para achar mulher - DAY SANTOS/JC IMAGEM
DAY SANTOS/JC IMAGEM
Corpo da manicure Dione é encontrado no rio Tejipió na manhã desta terça. - DAY SANTOS/JC IMAGEM
DAY SANTOS/JC IMAGEM
Corpo da manicure Dione é encontrado no rio Tejipió na manhã desta terça. - DAY SANTOS/JC IMAGEM
DAY SANTOS/JC IMAGEM
Corpo da manicure Dione é encontrado no rio Tejipió na manhã desta terça. - DAY SANTOS/JC IMAGEM

#UmaPorUma

A violência contra a mulher é constante e frequentemente acaba em tragédia. Existe uma história para contar por trás de cada feminicídio, em Pernambuco. O especial Uma por uma contou todas. Em 2018, o projeto mapeou onde as mataram, as motivações do crime, acompanharam a investigação e cobraram a punição dos culpados. Um banco de dados virtual, com os perfis de vítimas e agressores, além dos trágicos relatos que extrapolam a fotografia da cena do crime. Confira o especial Uma por Uma, sobre feminicídio.

Comentários

Últimas notícias