Coronavírus

Procon interdita dois bares do Recife por descumprimento dos protocolos de prevenção à covid-19

Órgão realizou trabalho de fiscalização com a PM, Bombeiros e Apevisa na última sexta-feira (22)

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 24/01/2021 às 13:45
Notícia
DIVULGAÇÃO
O Liamba/Naipe fica no bairro das Graças, no Recife. Durante o dia, o local funciona como uma barbearia, à noite, como um bar - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

Dois bares do Recife foram interditados na última sexta-feira (22) por descumprirem normas de prevenção ao contágio do coronavírus determinadas pelo governo do Estado. As interdições ao Liamba/Naipe e ao Sala de Reboco foram realizadas após trabalho de fiscalização do Procon-PE em parceria com a Polícia Militar, Corpo de Bombeiros e Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa).

A fiscalização foi realizada ainda em outros sete bares do Recife e Olinda, situados nos bairros de Casa Forte, Graças, Madalena, Cordeiro, Encruzilhada e Águas Compridas. Durante o Sábado (23), o Procon também fez parte das equipes de fiscalização dos parques e praias das duas cidades.

Segundo o Procon, o Liamba/Naipe, que fica nas Graças, foi autuado e interditado "por não respeitar o limite de dez pessoas por mesa e o distanciamento entre elas, consumidores transitando sem máscaras e outros consumindo em pé". O órgão disse, ainda, que os Bombeiros identificaram extintores de incêndio vencidos no local e que a Apevisa localizou outras irregularidades. O prédio, onde funciona uma barbearia durante o dia e um bar à noite, foi totalmente interditado.

>> "Venha de onde vier", diz epidemiologista da Fiocruz Pernambuco sobre a esperança nas vacinas contra covid-19

>> Fiocruz prevê ter insumos da vacina de Oxford só no dia 8

>> As imagens da chegada das 84 mil doses da vacina de Oxford a Pernambuco

Por estar com lotação acima do limite, mais de dez pessoas nas mesas, pela ausência de distanciamento entre elas e por estar promovendo um show com banda de forró, o Sala de Reboco, no Cordeiro, também foi interditado. Dos demais locais visitados, três estavam sem funcionar e nos outros as equipes não identificara irregularidades.

“Estamos observando que os estabelecimentos passaram a cumprir os protocolos. Uma prova é a queda no número de interdições. Mas aqueles que insistirem em infringir as determinações continuarão sendo punidos com notificações, multas e até interdições”, declarou o secretário de Justiça e Direitos Humanos do Estado, Pedro Eurico. Os donos dos estabelecimentos visitados também foram orientados sobre a importância do cumprimento dos protocolos gerais de combate à covid-19. Ao todo, o órgão já fiscalizou 359 bares e restaurantes e interditou 28 estabelecimentos. 

O JC tentou entrar em contato com os bares interditados na sexta-feira, mas não conseguiu. Caso os estabelecimentos queiram se pronunciar sobre o caso, o espaço está aberto.

Comentários

Últimas notícias