RUA DA AURORA

Após mulher morrer atingida por parte de fachada, prédio no Recife tem 72 horas para colocar telas de proteção

Célia Barros, 60 anos, passava pela calçada do prédio quando uma pedra caiu na sua cabeça. Ela morreu na hora. O Edifício São Cristóvão tem até quinta-feira (11) para colocar telas de proteção e bandejas (equipamento que apara a queda de objetos, entulhos ou outros materiais) nas fachadas

Margarida Azevedo
Margarida Azevedo
Publicado em 08/02/2021 às 20:58
Notícia
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Defesa Civil do Recife realizou vistoria no prédio e interditou um trecho da calçada onde Célia morreu - FOTO: YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

O condomínio do Edifício São Cristóvão, localizado na Rua da Aurora, bairro da Boa Vista, área central do Recife, tem até quinta-feira (11) para colocar telas de proteção e bandejas (equipamento que apara a queda de objetos, entulhos ou outros materiais) nas fachadas. Caso o condomínio descumpra a determinação, pagará multa de R$ 5 mil. A exigência é da Secretaria Executiva de Controle Urbano (Secon), depois que uma mulher morreu na manhã desta segunda-feira (08), vítima de uma pedra que possivelmente caiu do imóvel. A cuidadora de idosos Célia Cesária de Barros, 60 anos, passava pela calçada do prédio, por volta das 9h50, quando foi atingida na cabeça, morrendo na hora.

A notificação da prefeitura foi entregue na tarde de hoje ao condomínio, com prazo de 72h para ser cumprida. Vencido esse período, se as telas e bandejas não forem instaladas, a multa passa para R$ 10 mil. Os equipamentos devem ser colocados na parte da frente do prédio, voltado para a Rua da Aurora; na outra entrada que fica na Rua da União e também numa das laterais. O prédio tem 44 anos e possui 16 andares, com 17 apartamentos em cada andar e de uso misto, ou seja, residencial e comercial. O trecho da calçada onde houve o acidente foi isolado com cones e fitas.

Falta de manutenção

"Percebemos que o prédio não passou recentemente por manutenção pois há pontos de desprendimento da fachada. Não há necessidade de interdição nem desocupação do imóvel, mas precisa que seja feita a manutenção. Acidentes como o que aconteceu hoje (ontem) podem ser evitados se houver cuidado periódico", ressaltou a gerente geral de engenharia da Secretaria Executiva de Defesa Civil, Elaine Hawson.

Uma equipe do órgão realizou uma vistoria à tarde e deve concluir um parecer com recomendações técnicas em até 15 dias. A exigência de colocação de tela e de bandejas é justamente para proteger as pessoas que passam pelo local.

A prefeitura destacou que segundo a lei 13.032, de 14 de junho de 2006, é de responsabilidade do proprietário do imóvel e condomínio realizar a cada três anos a vistoria das condições físicas do conjunto estrutural do prédio e atestar a segurança da edificação.

O advogado do Edifício São Cristóvão, Anderson Lourenço, assegurou que o prédio passa por frequente manutenção, mas não soube informar quando foi feita a última vez que houve alguma intervenção. "O condomínio está verificando junto às autoridades o que ocasionou esse acidente. Não se sabe ainda o que provocou. Estamos analisando a estrutura do prédio, algo que sempre foi feito, para identificar o que mais pode ser adotado como medida de precaução", explicou Anderson.

"A manutenção preventiva sempre aconteceu, independente do que houve hoje (ontem). É um prédio antigo, que sofre com a maresia e por isso a administração, junto com engenheiros, está atenta às fachadas e às caixas de ar condicionado", complementou.

Polícia Civil instaurou inquérito

A Polícia Civil instaurou inquérito para investigar o caso, sob responsabilidade da delegada da Boa Vista, Euricélia Nogueira. "Tivemos acesso a uma imagem que mostra o exato momento que a vítima foi atingida pela pedra. Tentamos identificar de onde essa pedra foi desprendida, mas não conseguimos. Por enquanto não há elementos para imputar conduta criminosa de ninguém. Vamos aguardar o resultados das perícias", informou a delegada, que esteve no local de manhã. À tarde ela ouviu o depoimento da síndica do Edifício São Cristóvão.

Vítima será sepultada nesta terça-feira

Célia havia largado do trabalho. Cuidava de um idoso, há cerca de dois anos, que reside na Boa Vista. Estava caminhado para pegar o metrô na Estação Central, no bairro de São José, para sua casa, no Coque. O enterro do seu corpo será na manhã desta terça-feira, no Cemitério de Santo Amaro, também na área central do Recife. Ela tinha três filhos.

"Estamos inconformados com o que aconteceu com minha tia. Ela era como uma mãe para mim, era tia e mãe pois foi ela que me criou. Tinha terminado de largar o trabalho e todos os dias era o caminho dela até pegar o metrô", relatou uma sobrinha de Célia que pediu para não ser identificada.

"Um prédio desse todo acabado e dizer que não é responsável? São culpados sim. Queremos Justiça para que outras pessoas não passem pelo que a nossa família está passando", comentou a sobrinha.

A esteticista Valéria Rodrigues, 50, também passa diariamente pela frente do Edifício São Cristóvão. "Trabalho ao lado do Cinema São Luís e moro perto do Parque Treze de Maio. É um absurdo o que aconteceu. Eu andava por essa calçada, mas agora vou preferir ir pelo lado do rio", afirmou.

 

JAILTON JR./JC IMAGEM
Caso Edf. São Cristóvão na Rua da Aurora - JAILTON JR./JC IMAGEM
JAILTON JR./JC IMAGEM
ACIDENTE Idosa voltava para casa, após trabalho, quando sofreu a pancada, na calçada do edifício, e morreu - JAILTON JR./JC IMAGEM
JAILTON JR./JC IMAGEM
Caso Edf. São Cristóvão na Rua da Aurora - JAILTON JR./JC IMAGEM
JAILTON JR./JC IMAGEM
Caso Edf. São Cristóvão na Rua da Aurora - JAILTON JR./JC IMAGEM
JAILTON JR./JC IMAGEM
Caso Edf. São Cristóvão na Rua da Aurora - JAILTON JR./JC IMAGEM
JAILTON JR./JC IMAGEM
Caso Edf. São Cristóvão na Rua da Aurora - JAILTON JR./JC IMAGEM
TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM
Caso Edf. São Cristóvão na Rua da Aurora - TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM
TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM
Caso Edf. São Cristóvão na Rua da Aurora - TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM
TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM
default - TIÃO SIQUEIRA/JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
08.02.21 - POLÍCIA - Idosa morre após ser atingida por parte da fachada de prédio na Rua da Aurora, no Recife. - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
08.02.21 - POLÍCIA - Idosa morre após ser atingida por parte da fachada de prédio na Rua da Aurora, no Recife. - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Defesa Civil do Recife realizou vistoria no prédio e interditou um trecho da calçada onde Célia morreu - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
08.02.21 - POLÍCIA - Idosa morre após ser atingida por parte da fachada de prédio na Rua da Aurora, no Recife. - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
08.02.21 - POLÍCIA - Idosa morre após ser atingida por parte da fachada de prédio na Rua da Aurora, no Recife. - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
08.02.21 - POLÍCIA - Idosa morre após ser atingida por parte da fachada de prédio na Rua da Aurora, no Recife. - YACY RIBEIRO/JC IMAGEM
Yaci Ribeiro/JC Imagem
Técnicos da Defesa Civil estiveram no local para realizar a vistoria - Yaci Ribeiro/JC Imagem
Yaci Ribeiro/JC Imagem
Edifício fica na Rua do Aurora, no Centro do Recife - Yaci Ribeiro/JC Imagem
Yaci Ribeiro/JC Imagem
De acordo com a Defesa Civil, o local precisará passar por uma manutenção e recuperação da fachada - Yaci Ribeiro/JC Imagem

Comentários

Últimas notícias