pandemia

Covid-19: Pernambuco prorroga proibição de eventos em todo o Estado

A decisão foi motivada pelos números crescentes da pandemia e a superlotação nos sistemas de saúde

JC
JC
Publicado em 23/02/2021 às 17:14
Notícia
DOUGLAS FAGNER/SEPLAG
Paulo Câmara está entre os governadores que rebateram Bolsonaro - FOTO: DOUGLAS FAGNER/SEPLAG
Leitura:

atualizada às 20h02

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara, determinou, na tarde desta terça-feira (23), a prorrogação da proibição de eventos por mais 15 dias. A medida é válida para todo o Estado. A decisão foi motivada pelos números crescentes da pandemia de covid-19 em Pernambuco e a superlotação nos sistemas de saúde. “A nova aceleração da doença tem superlotado os sistemas de saúde e vem repetindo o mesmo caminho de 2020, começando pelos Estados do Norte e, agora, chegando com força ao Nordeste”, afirmou Paulo Câmara em anúncio.

 

Em entrevista ao JC, a presidente estadual da Associação Brasileira de Empresas de Eventos (Abeoc), Tatiana Marques, afirmou que o setor já esperava que a proibição fosse prorrogada. "Pela primeira vez, estávamos conscientes de que seria adiado e não tínhamos alimentando uma ilusão. O que nós queríamos é que quando tivesse um adiamento, o governo apresentasse uma contrapartida em prol do setor", declarou.

Marques também disse que, com a pandemia, o setor se encontra "sofrido e massacrado" e que a prorrogação irá provocar mais demissões e fechamentos de empresas. "Toda vez que se adia, é um prejuízo, porque aumenta o desemprego e o equilíbrio emocional das pessoas. Muitos empresários e funcionários estão sem condições até de comprar o material escolar dos filhos agora no início do ano letivo", declarou.

Segundo Tatiana, muitas empresas estão vendendo equipamentos, como microfone, bateria e outros, para tentar sobreviver diante da crise. Ela afirmou, ainda, que o setor vem tentando dialogar com o governo. "As entidades gostariam muito de conversar com o governador olho no olho para dar sugestões", concluiu.

Para o presidente do Recife Convention Bureau, Simão Teixeira, "todas as decisões que afetam a atividade econômica e, principalmente, o turismo são lamentáveis", mas afirma que o setor entender a posição do Governo Estadual. "A gente sabe que as decisões são para tentar conter a pandemia e, como tal, não resta outra opção", pontuou.

Teixeira, no entanto, avalia que a gestão deveria ter proibido apenas eventos sociais. "Nesses, tem a questão da bebida, toda uma questão de aglomeração, que a gente entende que possam ser restringidos. Mas os eventos corporativos, não. Os protocolos são fáceis de serem seguidos", argumentou. 

O empresário também disse que a prorrogação já era esperada e que, para a retomada das atividades, é necessário que a imunização avance. "Nós já esperávamos que isso fosse acontecer. E pedimos que a vacinação siga. A gente sabe que, quanto mais pessoas forem vacinadas, mais aliviados ficarão os leitos. Não tem como controlar a pandemia a não ser com confinamento e vacinação. Já que o confinamento prejudica muito, vem a vacina, que está em um ritmo demasiadamente lento", comentou.

Atividades econômicas

Da próxima sexta-feira (26) até o dia 10 de março, todas as atividades econômicas e sociais também estarão proibidas, entre 20h e 5h, nos 63 municípios das 2ª, 4ª e 9ª Gerências Regionais de Saúde (Geres), com sedes em Limoeiro, Caruaru (ambas as cidades no Agreste) e Ouricuri (no Sertão), respectivamente. Nos próximos dois finais de semana, as atividades estarão proibidas entre 17h e 5h, quando apenas serviços essenciais poderão continuar funcionando. 

O governador reforçou ainda que o Estado segue monitorando diariamente os números da covid-19. “Caso o índice de ocupação de leitos de UTI permaneça subindo, teremos que tomar medidas ainda mais duras nos próximos dias”, advertiu. Segundo Paulo Câmara, durante os 11 meses de luta contra o novo coronavírus, Pernambuco montou a segunda maior rede de terapia intensiva (UTI) do País, com leitos no Recife e em mais 15 cidades, do litoral ao Sertão.

Veja a lista das 63 cidades com restrições:

Regional de Limoeiro inclui 20 municípios: Bom Jardim, Buenos Aires, Carpina, Casinhas, Cumaru, Feira Nova, João Alfredo, Lagoa de Itaenga, Lagoa do Carro, Limoeiro, Machados, Nazaré da Mata, Orobó, Passira, Paudalho, Salgadinho, Surubim, Tracunhaém, Vertente do Lério, Vicência.

Regional de Caruaru inclui 32 municípios: Agrestina, Alagoinha, Altinho, Barra de Guabiraba, Belo Jardim , Bezerros, Bonito, Brejo da Madre de Deus, Cachoeirinha, Camocim de São Felix, Caruaru, Cupira, Frei Miguelinho, Gravatá, Ibirajuba, Jataúba, Jurema, Panelas, Pesqueira, Poção, Riacho das Almas, Sairé, Sanharó, Santa Cruz do Capibaribe, Santa Maria do Cambucá, São Bento do Uma, São Caetano, São Joaquim do Monte, Tacaimbó, Taquaritinga do Norte, Toritama, Vertentes.

Regional de Ouricuri inclui 11 municípios: Araripina, Bodocó, Exu, Granito, Ipubi, Moreilândia, Ouricuri, Parnamirim, Santa Cruz, Santa Filomena, Trindade.

Aulas presenciais em escolas públicas

As aulas presenciais em escolas públicas de todos os municípios pernambucanos para educação infantil e ensino fundamental não poderão mais ser retomadas a partir de 1º de março, como havia sido anunciado pelo governo de Pernambuco no início de fevereiro. Nesta terça-feira (23), o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, informou, em pronunciamento, que a suspensão das atividades nessas unidades de ensino valerá até 12 de março devido ao aumento de casos de covid-19 no Estado. A decisão foi tomada após análise da situação epidemiológica de Pernambuco pelo Comitê Estadual de Enfrentamento à Covid-19.

 

Comentários

Últimas notícias