PANDEMIA

"Vamos fazer desses 11 dias o nosso momento de virada", diz Paulo Câmara ao decretar quarentena mais rígida em Pernambuco; veja pronunciamento

O governador decretou restrições severas no Estado a partir da quinta-feira (18)

Amanda Azevedo Danielle Santana
Amanda Azevedo
Danielle Santana
Publicado em 15/03/2021 às 16:33
REPRODUÇÃO DE VÍDEO
Governador anunciou as novas restrições nesta segunda-feira (15) - FOTO: REPRODUÇÃO DE VÍDEO
Leitura:

Em pronunciamento nesta segunda-feira (15), ao decretar quarentena mais rígida em Pernambuco, o governador Paulo Câmara (PSB) destacou a importância de haver esforço da população, aliado ao trabalho das autoridades, para que o Estado consiga conter o novo avanço da covid-19 nos próximos dias. As restrições severas começam a valer na quinta-feira (18) e seguem até 28 de março.

"Vamos fazer desses 11 dias o nosso momento de virada. Será difícil para o Estado inteiro, mas precisa ser o nosso movimento realmente coletivo, em que estaremos juntos e conscientes para vencer o vírus e trazer de volta paz, tranquilidade, esperança e ainda mais trabalho pelo futuro da nossa gente", afirmou Paulo Câmara.

A decisão foi tomada em um momento que Pernambuco tem o sistema de saúde pressionado, com a maioria dos leitos de UTI públicos e privados destinados a pacientes com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) ocupados. 

De acordo com o gestor estadual, "nem todos têm compreendido a gravidade da situação e a necessidade de seguir os protocolos. O número de casos e de mortes continua subindo. A pressão sobre o sistema de saúde também". Paulo Câmara ressaltou também que a "mais grave penalização, é perder vidas, e nossa maior missão, é protegê-las".

No pronunciamento, Paulo Câmara falou ainda sobre o esforço do Estado para adquirir imunizantes e criticou a conduta do governo federal no enfrentamento à pandemia. "Estamos em ação permanente para garantir a vacinação. Até negociando a aquisição da vacina russa, por meio do consórcio Nordeste. O governo federal precisa, de uma vez por todas, cumprir seu papel. De nossa parte, não deixamos, e jamais deixaremos, de cumprir nossa missão".

"Queremos fazer o Estado e o País voltarem à normalidade, não há mais alternativas nesse momento. Estamos em um novo pico da crise, em ameaça crescente. É preciso reverter essa tendência para proteger cada vida e vencer. E isso, nenhum governo do mundo fará sozinho, nenhuma decisão é simples, nenhuma ação é fácil, mas não pode haver omissão", completou o gestor. 

Leia a íntegra do pronunciamento do governador

Tivemos mais um final de semana de restrições, e foram dias, também, de muito trabalho para o comitê de enfrentamento à covid-19. Tanto no acompanhamento dos números quanto na fiscalização. Infelizmente, nem todos têm compreendido a gravidade da situação e a necessidade de seguir os protocolos. O número de casos e de mortes continua subindo. A pressão sobre o sistema de saúde também. A mais grave penalização é perder vidas, e nossa maior missão, é protegê-las. Temos esse compromisso. Adotamos novas medidas sociais, econômicas, buscando reduzir o impacto da pandemia, mesmo diante de uma crise que também atinge o governo. Estamos em ação permanente para garantir a vacinação. Até negociando a aquisição da vacina russa, por meio do Consórcio Nordeste. O governo federal precisa, de uma vez por todas, cumprir seu papel. De nossa parte, não deixamos, e jamais deixaremos, de cumprir nossa missão. Ampliamos o número de leitos, de equipes, e o apoio a milhares de pessoas, e também aos setores produtivos. Com essas mais recentes decisões, que nos exigem um imenso esforço, porque não se pode medir esforços quando se luta pela vida. Queremos fazer o Estado e o País voltarem à normalidade, não há mais alternativas nesse momento. Estamos em um novo pico da crise, em ameaça crescente. É preciso reverter essa tendência para proteger cada vida e vencer. E isso, nenhum governo do mundo fará sozinho, nenhuma decisão é simples, nenhuma ação é fácil, mas não pode haver omissão. Vamos decretar nova quarentena, dessa vez em todo o estado, do dia 18, próxima quinta-feira, ao dia 28 de março, funcionando apenas os serviços essenciais. Sabemos que será mais um momento duro para todos, mas temos que proteger a vida enquanto avançamos em uma batalha que finalmente podemos começar a vencer com a vacina. Repito: nenhum governo vai vencer essa doença sozinho, só é possível superar a pandemia se cada pessoa, família, empresa, cada um de nós for agente de proteção, de cuidado, guerreiros e guerreiras da vida. Temos que assumir esse compromisso com a vida. Vamos fazer desses dias o nosso momento de virada, será difícil para o estado inteiro, mas precisa ser um movimento realmente coletivo, e que estaremos juntos e conscientes para vencer o vírus, e trazer de volta a paz, tranquilidade, esperança e ainda mais trabalho pelo futuro da nossa gente. Obrigado.

 

Comentários

Últimas notícias