agreste

Principal destino na Semana Santa em Pernambuco, Gravatá tem cenário diferente na Sexta-Feira da Paixão

No tradicional Mercado Cultural da cidade não houve registro de aglomeração pela manhã e a grande maioria também utilizava máscara. Já na feira livre o panorama era outro. Apesar de a maioria das pessoas também usarem máscara, o distanciamento social praticamente não existiu

Elton Ponce
Elton Ponce
Publicado em 02/04/2021 às 12:34
Felipe Ribeiro/JC Imagem
Mercado Cultural de Gravatá teve respeito às regras sanitárias de maneira geral - FOTO: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Leitura:

Principal destino turístico da Semana Santa em Pernambuco, Gravatá viveu uma Sexta-Feira da Paixão diferente em 2021. Com movimento menor por conta da pandemia da covid-19, a cidade, que fica a 80 km do Recife, teve um movimento moderado no comércio. Na feira livre do centro e nas ruas do comércio pôde-se observar uma grande maioria da população respeitando o protocolo sanitário. No entanto, algumas pessoas ainda insistiam em não usar a máscara, por exemplo.

Boa parte dos que estavam no centro nesta sexta-feira (02) eram turistas, como o analista de sistemas Rodrigo Leite, de 45 anos, que saiu do Recife para Gravatá. "Vi muita gente com máscara por aqui, mas algumas pessoas sem. Cheguei agora e tenho visto um pouco de cuidado por parte das pessoas. Já vi o comércio bem mais cheio do que hoje, e tenho sentido que as pessoas estão respeitando. É muito difícil ter 100% de respeito, mas a grande maioria está", disse.

 

No tradicional Mercado Cultural da cidade não houve registro de aglomeração pela manhã e a grande maioria também utilizava máscara. As mesas mantinham distanciamento e os comerciantes dispunham de álcool em gel para os clientes. Já na feira livre o cenário era diferente. Apesar de a maioria das pessoas também usarem máscara, o distanciamento social praticamente não existiu. "Tenho visto a maioria das pessoas de máscara, principalmente os turistas. O pessoal local Às vezes não usa", explicou Maria José, 47 anos, que comercializava em uma das bancas da feira.

Ela também teve a percepção de diminuição do movimento na feira se comparado com a Semana Santa de 2020. "O ano passado foi melhor que esse ano em relação à quantidade de turistas", explicou.

Mesmo assim, a expectativa do setor hoteleiro é de que a ocupação chegue a 60% até o final de semana. "Iniciamos a semana com os hotéis de Gravatá beirando os 25% de reservas garantidas e cerca de 40% de bloqueios de reservas para posterior confirmação. Depois do pronunciamento do governador flexibilizando a quarentena, a procura cresceu e já estamos com 50% de ocupação. Esperamos que até o final de semana a gente chegue em, ao menos, 60% de ocupação", relatou Eduardo Cavalcanti, proprietário do Hotel Portal.

Felipe Ribeiro/JC Imagem
Mercado Cultural não apresentou aglomerações pela manhã em Gravatá - Felipe Ribeiro/JC Imagem
Felipe Ribeiro/JC Imagem
Já na feira livre do centro, em Gravatá, as pessoas não respeitaram o distanciamento social - Felipe Ribeiro/JC Imagem
Felipe Ribeiro/JC Imagem
Já na feira livre do centro, em Gravatá, as pessoas não respeitaram o distanciamento social - Felipe Ribeiro/JC Imagem
Felipe Ribeiro/JC Imagem
Panorama no centro de Gravatá na Sexta-Feira Santa em 2021 - Felipe Ribeiro/JC Imagem

Horário do comércio

Em Gravatá, pontos turísticos como o Polo Moveleiro, Mercado Cultural, Estação do Artesão, o comércio em geral e galerias comerciais; escritórios comerciais e de prestação de serviços; salões de beleza, barbearias, cabeleireiros e similares podem abrir para o público das 8h às 18h de segunda-feira a sexta-feira, e das 6h às 14h nos finais de semana e feriados, desde que sejam respeitadas as regras pré-estabelecidas contra a covid-19, sem aglomeração.

As academias e demais estabelecimentos voltados à prática de atividades físicas podem funcionar das 5h às 20h de segunda-feira a sexta-feira, e das 5h às 17h nos finais de semana e feriados.

Comentários

Últimas notícias