tráfico de drogas

Mulher grávida é presa pela Polícia Federal no Aeroporto do Recife com cerca de 10 kg de maconha

Ela desembarcou de um voo vindo de Manaus, de onde é natural e residente

Bruna Oliveira
Bruna Oliveira
Publicado em 16/06/2021 às 8:52
Notícia
DIVULGAÇÃO/PRF
Ao abrir a mala da mulher, policiais federais encontraram 10 tabletes de maconha, totalizando um peso aproximado de 10,6Kg - FOTO: DIVULGAÇÃO/PRF
Leitura:

Uma mulher de 21 anos, grávida de cinco meses, foi presa em flagrante pela Polícia Federal (PF) nessa terça-feira (15) no Aeroporto Internacional dos Guararapes - Gilberto Freyre, na Imbiribeira, na Zona Sul do Recife, suspeita de tráfico interestadual de drogas. Natural e residente em Manaus, ela, que não possui antecedentes criminais, desembarcou de um voo vindo da cidade. 

De acordo com a Polícia Federal, a prisão aconteceu durante uma fiscalização de rotina destinada a reprimir o tráfico internacional e doméstico de entorpecentes, bem como outros tipos de ilicitudes de competência federal no aeroporto. Com isso, os policiais, por meio de um procedimento padrão, perceberam que a passageira demonstrava bastante nervosismo, inquietação e impaciência após desembarcar do voo.

A mulher foi chamada para uma entrevista prévia com os policiais. Os federais a questionaram sobre o que havia no interior da mala e, segundo a PF, ela respondeu com insegurança. A ação foi concluída quando os policiais abriram a bagagem e encontraram 10 tabletes de maconha, com um peso aproximado de 10,6 quilos. Também foram apreendidos passagem aérea, cartão de embarque e um aparelho celular que estava com a suspeita.

Após a droga ser encontrada, a mulher recebeu voz de prisão em flagrante e em seguida foi conduzida para a Superintendência da Polícia Federal no Cais do Apolo, na Área Central da capital. No local, ela foi autuada pela prática do crime de tráfico interestadual de entorpecentes, contido no artigo 33 e 40 da Lei nº 11.343/2006. Se condenada, ela poderá cumprir penas que variam de 5 a 20 anos de reclusão.

Interrogatório

Durante o interrogatório, a presa disse desconhecer a existência de droga dentro da mala e que foi contratada apenas para entregá-la no Recife. Segundo a mulher, ela receberia R$ 3,5 mil pelo transporte, mas não deu maiores detalhes sobre quem teria feito a contratação, nem a quem a droga seria entregue na capital pernambucana.

A presa irá passar por audiência de custódia nesta quarta-feira (16) e, caso seja confirmada sua prisão preventiva, ela será encaminhada para a Colônia Penal Feminina Bom Pastor, no bairro do Engenho do Meio, na Zona Oeste do Recife, onde ficará à disposição da Justiça de Pernambuco. Caso não seja confirmada a prisão, ela responderá o processo em liberdade. 

Comentários

Últimas notícias