Fiscalização

Após denúncias, Prefeitura do Recife e Governo do Estado inibem aglomerações na Zona Norte da capital

Dez órgãos e entidades das administrações municipal e estadual participaram da ação, que começou às 20h da sexta-feira (20)

Katarina Moraes Renata Monteiro
Katarina Moraes
Renata Monteiro
Publicado em 21/08/2021 às 15:47
Notícia
DIVULGAÇÃO
Prefeitura do Recife e Governo de Pernambuco realizam fiscalização na Zona Norte - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

Após moradores da Zona Norte do Recife denunciarem recorrentes festas clandestinas em diversos pontos da região, mas principalmente na Bomba do Hemetério, uma ação de fiscalização realizada pela prefeitura e pelo Governo do Estado evitou novas ocorrências na última sexta-feira (20). Pela Prefeitura do Recife participaram da ação: Secretaria Executiva de Controle Urbano (Secon), Guarda Civil Municipal, CTTU, Brigada Ambiental, Vigilância Sanitária e Procon. Pelo Estado, atuaram Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Detran e Procon estadual.

Segundo o balanço da ação, os trabalhos começaram às 20h, na Bomba do Hemetério. Foram realizadas blitzes da CTTU nas entradas do bairro para verificar se os chamados "paredões", uma espécie de sistema de som, estariam entrando na localidade. Além disso, o comércio informal de comidas e bebidas foi orientado a funcionar apenas até as 21h e Bares e restaurantes puderam operar até a meia-noite, como prevê o decreto de flexibilização das atividades econômicas em vigor atualmente.

>> Após registro de aglomerações, Pedro Eurico promete fiscalizar "com toda atenção" o Grande Recife neste final de semana

>> Lixo, aglomeração e música alta; fins de semana são marcados por total desrespeito no Grande Recife

>> Vídeos mostram aglomeração após inauguração de praça em Tacaimbó, no Agreste de Pernambuco

>> Após flagrantes de aglomerações, Prefeitura do Recife irá realizar fiscalização na Bomba do Hemetério

"Agentes da Secon, Procon e Vigilância Sanitária realizaram vistorias em estabelecimentos da localidade para verificar licenças e condições sanitárias. Um clube local foi interditado pelo Procon estadual por irregularidades. Equipes de Secon recolheram objetos que obstruíam o passeio público e até uma câmara frigorífica abandonada na calçada da Rua Bomba do Hemetério, que, segundo moradores, servia para que frequentadores das festas irregulares retirassem pedaços de metal e vidro que eram usados em brigas", diz trecho do comunicado enviado pelos órgãos de fiscalização à imprensa.

Após as 0h, foram realizadas dispersões em estabelecimentos que ainda estavam com clientes. Além da Bomba do Hemetério, foram alvos da fiscalização localidades como Alto Santa Terezinha, Alto José do Pinho, Linha do Tiro e Macaxeira.

"A população atendeu ao chamado que fizemos ao longo da semana para que não houvesse aglomerações devido ao estado da pandemia, que ainda inspira cuidados por parte de todos nós. E conseguimos cobrir não só a Bomba do Hemetério, mas várias localidades da Zona Norte onde ocorriam eventos do tipo. A ação vai continuar nos próximos dias e é importante que todos se conscientizem e façam sua parte", explicou a Secretária Executiva de Controle Urbano, Marta Lima, por nota.

"Muvucão"

Na última segunda-feira (16), o JC noticiou tumulto, música alta e bebedeira na Bomba do Hemetério, Zona Norte do Recife, onde acontece o chamado "Muvucão" há cerca de dois meses. Os flagrantes fizeram com que a Prefeitura do Recife realizasse uma série de fiscalizações em bairros da região, com o objetivo é orientar os comerciantes locais sobre a “necessidade do respeito ao decreto estadual de restrições econômicas e sociais, ainda vigente”.

Por meio de uma rede social, o prefeito João Campos (PSB), comentou o caso. Ele enfatizou que a pandemia ainda não acabou e pediu colaboração da população. "A pandemia ainda não acabou. Cenas como a que assistimos na Bomba do Hemetério, com aglomeração e descumprimento das medidas preventivas, podem colocar em risco os resultados que todos precisamos alcançar juntos", escreveu o político.

A mesma situação foi registrada nas famosas Ladeiras de Olinda durante o fim de semana. Na frente da Igreja de São Pedro, havia muita gente aglomerada e sem respeitar o distanciamento social, assim como nos quatro cantos da cidade. No bairro do Amparo, por exemplo, pessoas bebiam e conversavam sem máscara próximas às outras. De acordo com moradores, todos os fins de semana as mesmas situações são registradas.

Veja o vídeo:

Comentários

Últimas notícias