AGLOMERAÇÃO

Lixo, aglomeração e música alta; fins de semana são marcados por total desrespeito no Grande Recife

Na Bomba do Hemetério, Zona Norte do Recife, por exemplo, centenas de pessoas têm se reunido todos os finais de semana há cerca de dois meses, num paredão conhecido como "Muvucão"

Vanessa Moura
Vanessa Moura
Publicado em 16/08/2021 às 14:03
Reprodução/TV Jornal
Aglomeração no bairro Bomba do Hemetério, Zona Norte do Recife, no último final de semana - FOTO: Reprodução/TV Jornal
Leitura:

Tumulto, música alta, bebedeira e muita aglomeração. Esse é o resumo do que vem sendo registrado em alguns pontos do Grande Recife. Cenas que ultrapassam o desrespeito ao bem-estar do próximo e chegam a significar desrespeito pela vida, num período em que a aglomeração de pessoas indica risco de contágio pela covid-19, um vírus altamente transmissível que já vitimou 569 mil pessoas no Brasil. 

Na Bomba do Hemetério, Zona Norte do Recife, por exemplo, centenas de pessoas têm se reunido todos os finais de semana há cerca de dois meses, num paredão conhecido como "Muvucão". Lá, elas bebem, empinam moto, dançam aglomeradas, sem máscara de proteção e com som estrondoso que impede muitos moradores dos entornos de pregarem os olhos durante a madrugada. 

"Sexta, sábado e domingo ninguém dorme aqui na Bomba não. É o pessoal dando cavalo de pau com o carro, empinando moto, fazendo festa", reclama o policial militar reformado, Joel Clementino.

O aposentado José Edimilson, reitera a indignação. "Eles não respeitam ninguém não. Ficam tudo sem máscara, sem nada", denunciou. 

Mesmo sendo localizado na principal via de acesso ao bairro, de forma bastante explícita, as forças de segurança parecem não resolver a situação. Nas imagens mostradas a seguir, é possível ver uma viatura da Guarda Municipal chegando ao local e não conseguindo encerrar a festa, que rolou até o amanhecer, segundo moradores. 

De acordo com o auxiliar de serviços gerais, Gilvan Batista, sempre que a polícia vai até o local as pessoas se dispersam por um momento, mas basta os agentes irem embora que a festa continua, como se nada tivesse acontecido. "É droga, é prostituição, é tudo. Quando a polícia chega eles correm, se escondem, aí quando a polícia vai embora eles voltam com tudo. É sempre assim", contou.

Em nota, a Polícia Militar de Pernambuco (PM-PE) informou que "efetivos do 11° BPM, em conjunto com a Guarda Municipal do Recife, CTTU, CBMPE e DIRCON, realizaram uma operação no final de semana no Largo da Bomba do Hemetério, com intuito de prevenir a incidência de ocorrências de CVLI's e CVP's, bem como de fazer cumprir o decreto estadual que proíbe dentre outras coisas, aglomerações de pessoas".

Ainda segundo a PM, a ação foi iniciada às 22h do domingo (15) e finalizada às 2 desta segunda (16), onde cerca de 190 pessoas foram abordadas e orientadas. Sobre os participantes do "paredão", a polícia informou que ninguém foi detido.

"No local, havia uma aglomeração de jovens, fazendo os chamados “paredões”, muitos dos quais sem máscaras e desrespeitando normas sanitárias em vigor. Ninguém foi detido. Essa é a terceira edição da Operação, que está sendo realizada aos finais de semana na área", disse a nota. 

Além de perturbar o sossego dos vizinhos e desrespeitar às normas sanitárias de contenção da covid-19, a sujeira acumulada e deixada na via, após a festa, é absurda. Dezenas de garrafas de cerveja, caixas de papelão e embalagens transformam a rua em depósito de lixo à céu aberto. 

Reprodução/TV Jornal
Após a festa, a situação do local fica deplorável, com muito lixo pela via - Reprodução/TV Jornal

A mesma triste situação é registrada nas famosas Ladeiras de Olinda durante o fim de semana. Quem vê a tranquilidade da área em plena segunda-feira não imaginaria a confusão que acontece no sábado e no domingo no sítio histórico da cidade, não fosse pelos rastros deixados em forma de lixo pelo chão. 

Na frente da Igreja de São Pedro, o clima parecia de prévia de Carnaval no fim de semana, com muita gente aglomerada e sem respeitar o distanciamento social. A mesma cena se repetiu nos quatro cantos da cidade. No bairro do Amparo, por exemplo, pessoas bebiam e conversavam sem máscara próximas às outras. De acordo com moradores, todos os fins de semana as mesmas situações são registradas.

Veja vídeo: 

De acordo com nota da PM, a CIATur também realizou intervenções nas ruas do Sítio Histórico de Olinda neste fim de semana. "Algumas pessoas se concentravam em locais no meio das ruas, outras se concentravam em frente aos bares, o que causou em alguns momentos aglomerações. O efetivo orientou e dispersou os populares, marcando atuação constante em toda o bairro". 

Por fim, a polícia orientou a população a respeitar o limite de pessoas em eventos, distanciamento e uso de máscaras, além de medidas de esterilização das mão e ambientes. Em casos de desrespeito às normas de segurança, denúncias podem ser feitas pelo 190.

Bares interditados no fim de semana

Fiscais do Procon Pernambuco saíram pelas ruas da Região Metropolitana do Recife (RMR), no último fim de semana, para fiscalizar o cumprimento do decreto do Governo do Estado, com protocolos de proteção ao novo coronavírus (covid-19).

De acordo com o órgão, três bares receberam um auto de constatação, sendo um interditado. Toda a ação aconteceu em conjunto com a Polícia Militar e a Agência Pernambucana de Vigilância Sanitária (Apevisa).

LEIA MAIS

Confira ponto a ponto o que muda com nova flexibilização anunciada pelo Governo de Pernambuco

Após flexibilizações, bares e restaurantes de Pernambuco lançam campanha para conscientizar público sobre protocolos

Em primeiro fim de semana com música ao vivo, veja o horário de bares, restaurantes e outras atividades em Pernambuco

Na sexta-feira (13), a Venda de Seu Biu, situada no Centro Histórico de Olinda, foi autuada por ter clientes circulando sem o uso devido da máscara. No Bairro Novo, o estabelecimento Gato Preto Pub foi autuado e interditado. No ato da fiscalização, foi constatado que o local funcionava normalmente de portas fechadas após o horário permitido. Cerca de 20 clientes se encontravam no bar.

Já no sábado (14), o The Match, localizado em Boa Viagem, foi autuado por descumprimento do decreto. Segundo o Procon, o estabelecimento atendia com mais de 70% da quantidade permitida, além da falta de distanciamento entre as mesas. Havia mesas com mais de dez clientes, o que não é permitido conforme consta no decreto.

“É imprescindível que nesse momento ainda muito adverso que atravessamos, os fornecedores e a população continuem seguindo as medidas de proteção”, ressalta o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico.

Desde o início do ano, o Procon-PE fiscalizou mais de 1.600 bares e restaurantes, 378 receberam um auto de constatação e 100 foram interditados.

O que diz a prefeitura de Olinda

Por meio de nota, a prefeitura de Olinda afirmou que "enviou uma equipe ao Sítio Histórico para apurar a denúncia de lixo na área. Mas garante que a coleta de lixo no local é feita, todos os dias, de forma sistemática". 

Já sobre a aglomeração, o órgão disse que uma ação no fim de semana distribuiu mais de 300 máscaras de proteção durante as fiscalizações. Ainda de acordo com a prefeitura, "equipes coordenadas pela Secretaria de Segurança Cidadã (Guarda Municipal) estiveram no Sítio Histórico da sexta-feira (13) até o domingo (15) para evitar aglomerações". 

Confira texto na íntegra:

SOBRE O LIXO

A Diretoria de Limpeza Urbana de Olinda enviou uma equipe ao Sítio Histórico para apurar a denúncia de lixo na área. Mas garante que a coleta de lixo no local é feita, todos os dias, de forma sistemática.

SOBRE A AGLOMERAÇÃO

 

A operação integrada em Olinda para conter o avanço da Covid-19 distribuiu mais de 300 máscaras de proteção durante as fiscalizações do fim de semana. As equipes coordenadas pela Secretaria de Segurança Cidadã (Guarda Municipal) estiveram no Sítio Histórico da sexta-feira (13) até o domingo (15) para evitar aglomerações.

Na área histórica de Olinda foram distribuídas 100 máscaras no sábado e 150 no domingo. A fiscalização percorreu o Alto da Sé, Largo do Amparo e Praça do Carmo, em frente à Igreja de São Pedro. Neste último local foi dispersada uma aglomeração na noite do domingo, quando cerca de 100 pessoas se juntaram, muitas sem usar máscara de proteção.

Nos 9km da orla de Olinda, a ação teve início pela manhã e foi até o início da noite para verificar o comércio na faixa de areia, bares, restaurantes e garantir o cumprimento das orientações do Governo do Estado. O trabalho foi realizado tanto no sábado quanto no domingo.

 

Reprodução/TV Jornal
Após a festa, a situação do local fica deplorável, com muito lixo pela via - FOTO:Reprodução/TV Jornal

Comentários

Últimas notícias