CRIME

'Era uma amor de pessoa, só queria dançar', desabafa mãe de dançarino morto no metrô do Recife

Jovem de 21 anos foi assassinado a facadas nesta terça-feira (21) em um vagão de um trem do metrô do Recife

Adige Silva
Adige Silva
Publicado em 21/09/2021 às 21:28
Notícia
REPRODUÇÃO/TVJORNAL
Mãe do dançarino morto a facadas no metrô do Recife desabafa em entrevista - FOTO: REPRODUÇÃO/TVJORNAL
Leitura:

assassinato de um artista de rua a facadas dentro do vagão do metrô do Recife, nesta terça-feira (21), chocou a população pernambucana. Bruno Henrique dos Santos, de 21 anos, fazia apresentações artísticas no transporte público quando foi atacado e morto, diante de diversos usuários. A mãe do jovem, Lucicleide Viana, contou que o filho era uma boa pessoa e não tinha desentendimento com ninguém.

"Bruno era um amor de pessoa, carinhoso, me dava tanto cheiro... Só queria dançar, somente. Ele ia todos os dias para o metrô trabalhar, para ganhar o pão de cada dia e pagar o aluguel. Tinha uma vida social como qualquer pessoa. Ele nunca falou sobre alguém o ameaçar", relatou a mãe, em entrevista à TV Jornal, na saída do Instituto de Medicina Legal (IML), no bairro de Santo Amaro.

De acordo com o delegado Victor do Leite, da Polícia Civil de Pernambuco, o suspeito de cometer o crime, segundo relatos de testemunhas, trabalhava como vendedor ambulante na plataforma. Ainda segundo o delegado, a vítima e o suspeito teriam discutido nessa segunda (20), o que pode ter motivado a ação.

Apesar de Bruno nunca ter relatado ameaças, Lucicleide conta que sempre aconselhava o filho a trabalhar em outro local. "Eu me procurava muito, todo o tempo. Eu pedia para ele sair de lá e ele dizia que era uma arte, que gostava de fazer aquilo", relata a mãe, visivelmente emocionada. Ela ainda descreve como foi a última vez que esteve com o filho: "Como mãe, a gente sente que isso vai acontecer. A última vez que o vi, ele me disse: 'ore por mim'", relatou a mãe.

Após o crime, o suspeito acionou a trava de emergência do trem e fugiu por um terreno entre as estações da Imbiribeira e Antônio Falcão. De acordo com Victor Leite, esse fato indica que ele teria premeditado a ação. "Possivelmente, foi um homicídio calculado, premeditado, sem se importar com testemunhas oculares", avaliou o delegado.

Mesmo diante da dor pela morte do filho, a mãe afirmou que perdoa o suspeito. "Não vai adiantar pedir justiça, porque a justiça de Deus não falha, mas as dos homens, sim. Eu perdoo quem fez isso com ele Eu perdoo você, viu, meu filho? Que Deus salve você também", afirmou.

Comentários

Últimas notícias