investigação

Suspeito de estuprar criança de 9 anos, motorista de transporte escolar é investigado por outros crimes sexuais

A DPCA apura se outras crianças transportadas pelo motorista foram vítimas do crime

Bruno Vinicius
Cadastrado por
Bruno Vinicius
Publicado em 17/05/2022 às 14:30
TV Jornal
Delegada Vilaneida Aguiar, da Polícia Civil de Pernambuco - FOTO: TV Jornal
Leitura:

Um motorista suspeito de estuprar uma criança de 9 anos em Jaboatão dos Guararapes, no Grande Recife, é investigado por outros crimes sexuais. O homem de 34 anos foi preso na última quinta-feira (12), por suspeita de praticar estupro de vulnerável contra uma das crianças transportadas no veículo escolar.

De acordo com a delegada Vilaneida Aguiar, titular da 2ª Delegacia de Polícia de Crimes Contra a Criança e Adolescente e Atos Infracionais de Jaboatão dos Guararapes - DPCCAI, o transporte não era regulamentado.

Segundo a delegada, os pais não tinham conseguido transporte no bairro e contrataram o motorista, que fazia o percurso de crianças às escolas. Eles descobriram o crime sexual após a mudança de comportamento da criança de 9 anos.

"Na volta para casa, ele atrasou com a criança. Chegou aparentemente normal, mas [a família] notou a criança muito irritada. Quando foi tarde da noite, a criança começou a chorar e pediu para dormir no quarto dos pais, o que não acontecia. E quando foi dormir, ela começou a chorar muito e contou o que aconteceu", disse a delegada.

Ainda de acordo com a delegada, o crime teria ocorrido dentro do próprio veículo. "O motorista do transporte escolar foi ao banco de trás, colocou um fone de ouvido para a criança ouvir um vídeo de sexo. Esses vídeos da internet. E nisso ele começou a ter atos libidinosos contra a criança", comentou Vilaneida Aguiar.

Os investigadores conseguiram chegar ao suspeito a partir do histórico de pagamento dos pais. "Quando a gente viu o nome do beneficiado, lembramos imediatamente de um conhecido da delegacia. Tinha sido preso ano passado, no caso em duas vezes, com histórico de crime sexual", disse.

"Assim que foi solto, ele ia nas escolas e entregava um cartão. Entregou até para quem trabalha com transporte regular. Nós estamos no prazo de flagrante e estamos investigando para ver se tinha outras vítimas, outras crianças. O foco dele tem sido criança do sexo feminino, mas não excluímos algum aluno de sexo masculino. Estamos chamando todos, na escuta especializada", pontuou.

CONDUÇÃO

A delegacia conduzirá as investigações durante o período de flagrante, que dura 10 dias, para apurar se o motorista praticou o crime contra outras vítimas. A delegada comenta que os pais devem estar em alerta e, caso seja identificado o crime, devem conduzir os filhos a um ambiente especializado para colher o depoimento e tomar as medidas cabíveis.

Comentários

Últimas notícias