TRADIÇÃO RELIGIOSA

Dia de Santo Antônio 2022: fama de 'casamenteiro' remonta à Idade Média

Sermões do santo voltados à importância da família e do matrimônio podem ter dado origem à tradição popular

JC
Cadastrado por
JC
Publicado em 13/06/2022 às 19:33 | Atualizado em 13/06/2022 às 19:43
Foto: JC Imagem / Bobby Fabisak
Um dos santos mais populares do Brasil, Santo Antônio tem fama de casamenteiro e é chamado de protetor dos pobres - FOTO: Foto: JC Imagem / Bobby Fabisak
Leitura:

Todo ano é a mesma coisa: no dia 13 de junho, devotas e devotos de Santo Antônio fazem promessas, pedidos e simpatias ao santo, com o intuito de “desencalhar”. A tradição popular vai passando de geração em geração e, movidas pela fé, as pessoas vão perpetuando, na esperança de encontrarem um par.

De acordo com o professor Sérgio Sezino, coordenador do curso de Teologia da Universidade Católica de Pernambuco, essa tradição remontaria à Idade Média. “Essa crendice não tem relação oficialmente com a Igreja Católica, mas provavelmente foi criada no imaginário popular por conta do conteúdo dos sermões do Santo Antônio histórico”, afirmou.

Nascido em Lisboa no ano de 1195, viveu a maior parte de sua vida em Pádua, na Itália, sendo contemporâneo de São Francisco de Assis. Santo Antônio foi frade franciscano, responsável por ensinar teologia aos membros da ordem religiosa. Também viajava de vilarejo em vilarejo, pregando para as pessoas. “Ele falava muitas vezes sobre a importância da família e do matrimônio e, talvez por isso, criou-se na imaginação das pessoas a relação dele com o casamento”, explicou Sezino.

“Os santos acabaram recebendo cada um uma espécie de ‘função’ porque, em muitos casos, o povo associava algo que marcasse aquele santo para fazer os seus pedidos”, concluiu o professor.

Mas nem só de matrimônio vivem os devotos de Santo Antônio. Outra tradição importante ligada ao santo é a Bênção dos Pães, que acontece todos os anos. De acordo com a Arquidiocese de Olinda e Recife, pães são abençoados e consagrados à Santo Antônio nas celebrações e, posteriormente, doados aos pobres. Os pães ajudariam a não faltar comida na mesa durante o ano.

Padroeiro do Estado

Em Pernambuco, Estado do qual ele é padroeiro, são 11 paróquias dedicadas ao “santo casamenteiro”. Ele também é padroeiro do Recife e do Cabo de Santo Agostinho. 

Últimas notícias