BALANÇO

Chuvas no interior de Pernambuco deixam 5,9 mil desalojados e 1 mil desabrigados

Não foram registradas novas mortes em decorrência das chuvas. No entanto, duas pessoas estão desaparecidas

Katarina Moraes
Cadastrado por
Katarina Moraes
Publicado em 04/07/2022 às 13:16 | Atualizado em 04/07/2022 às 17:49
SIDNEY LUCENA/JC IMAGEM
Barreiros, na Zona da Mata de Pernambuco, na manhã desta segunda-feira (4) - FOTO: SIDNEY LUCENA/JC IMAGEM
Leitura:

Novo balanço da Secretaria Executiva de Defesa Civil do Estado (Codecipe), divulgado nesta segunda-feira (4), ampliou a magnitude do estrago causado pelas chuvas que caíram sobre o interior no último final de semana. Ao todo, são 29 cidades atingidas1.085 pessoas desabrigadas (quem está em um abrigo) e 5.988 desalojadas (quem está na casa de um parente).

Não foram registradas novas mortes em decorrência das chuvas. No entanto, duas pessoas estão desaparecidas, uma em Jaqueira, e outra em Catende, ambos municípios da Zona da Mata do Estado. Uma delas é o funcionário da Prefeitura de Jaqueira Alex Fernando Silva, de 20 anos. Ele teria sido arrastado pela correnteza nas enchentes da região após levar um choque.

As cidades que registraram danos e prejuízos foram: Águas Belas, Água Preta, Angelim, Barreiros, Belém de Maria, Bom Conselho, Brejão, Caetés, Capoeiras, Canhotinho, Catende, Correntes, Cortês, Escada, Garanhuns, Iati, Itaíba, Jaqueira, Jurema, Jupi, Lagoa do Ouro, Maraial, Palmares, Palmerina, Quipapá, Rio Formoso, Saloá, São Benedito do Sul e Tamandaré.

Dentre essas, até o momento, 15 já encaminharam os Decretos Municipais de Situação de Emergência à Secretaria Executiva de Defesa Civil do Estado. Estão nessa lista os municípios: Água Preta, Angelim, Barreiros, Belém de Maria, Bom Conselho, Caetés, Capoeiras, Catende, Correntes, Itaíba, Jaqueira, Maraial, Palmares, Saloá e São Benedito do Sul. Esse número pode subir porque os municípios ainda estão em fase de levantamento dos danos e prejuízos.

A Codecipe orienta que a população não ultrapasse as áreas inundadas e alagadas e sigam todas as recomendações da Defesa Civil Municipal, mantendo-se em alerta, sobretudo nas áreas ribeirinhas e de risco. A Central permanece com atendimento 24h através dos telefones 3181-2490 e 199.

Comentários

Últimas notícias