Ato

Movimento de direita confirma participação em ato pró-Bolsonaro mesmo com avanço do coronavírus

O Direita Pernambuco confirmou que manifestação continuará mesmo após crescimento do Coronavírus em Pernambuco

Gabriela Carvalho
Gabriela Carvalho
Publicado em 13/03/2020 às 9:55
Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Organizadores da manifestação acreditam que o evento será um dos maiores já promovido no estado - FOTO: Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem
Leitura:

Um dia após o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que convocou para ato pró-governo, voltar atrás e afirmar que não era o melhor momento para protestos, um dos grupos organizadores do ato, Direita Pernambuco, confirmou que, mesmo com aconselhamento do presidente, manterá as manifestações de 15 de março.

"O Direita Pernambuco convocou e mantém a manifestação aqui no Estado. Existe um fervor da população em ir as ruas para mostrar seu apoio ao presidente e dar o recado ao Congresso que eles não mandam no Brasil. Somos um movimento que luta pelo Brasil, faça chuva ou faça sol", disse Matheus Henrique, presidente do movimento, nesta sexta-feira (13).

Em publicação no Instagram, o grupo já confirmou que o ponto de concentração da manifestação, às 14h, será em frente a padaria Boa Viagem, no bairro de Boa Viagem, zona sul do Recife.

>> Secretaria de Saúde confirma dois primeiros casos de coronavírus em Pernambuco

 Após avanço do Coronavírus no Brasil e a confirmação de dois casos em Pernambuco, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) voltou atrás nesta quinta-feira (12) e falou, em live no Youtube, que o momento não era propício para o ato.

>> Bolsonaro faz teste para coronavírus; resultado sai na sexta-feira, 13

"O que nós devemos fazer agora é evitar que haja uma explosão de pessoas infectadas. Uma das ideias é adiar. Daqui a um mês, dois meses isso se faz", disse.

>> Bolsonaro pede que população repense ida a manifestações de domingo

O grupo Movimento Cidadão, por outro lado, decidiu na noite desta quinta-feira (12) cancelar sua participação no ato. "O próprio presidente está pedindo para adiar. Diante do que está acontecendo, não iremos", explicou a representante, Dulce Sampaio.

Mesmo após "desconvocação" do presidente, alguns apoiadores de Bolsonaro subiram a hashtag #DesculpeJairMasEuVou, indicando que não desistirão de sair às ruas mesmo após pedido do presidente.

Movimento NasRuas adia ato

Um dos maiores movimentos de direita, após declaração do presidente, também adiou sua presença nas manifestações. O NasRuas, em nota oficial, confirmou que não sairá no ato. 

"Em virtue da solicitação do Presidente da República Jair Messias Bolsonaro, em sua Live, nos do Movimento NasRuas iremos adiar nacionalmente nossa participação na manifestação que ocorreria no próximo dia 15/03", dizia nota. 

Coronavírus em Pernambuco

Em coletiva na manhã desta quinta-feira (12), a Secretaria de Saúde de Pernambuco confirmou os dois primeiros casos de coronavírus (covid-19) no Estado. Os pacientes são importados, ou seja, não contraíram o vírus no Brasil. Os dois casos confirmados são de um casal com histórico recente de viagem à Itália. Uma mulher de 66 anos e um homem de 71. Ambos são moradores de Boa Viagem, Zona Sul do Recife. Os dois estão internados no Real Hospital Português, em estado estável. Os sintomas apresentados pelos pacientes são tosse, febre e dor de cabeça.

A secretaria acompanha ainda uma mulher de 41 anos que teria tido contato com o casal infectado com o covid-19. Ela é moradora do Pina e está em isolamento domiciliar desde esta quinta-feira. Se confirmada a contaminação dessa terceira pessoa, este seria o primeiro caso de circulação interna do vírus no estado. Pernambuco é o nono estado a ter caso de coronavírus no Brasil segundo o Ministério da Saúde. Também é o terceiro do Nordeste. Nessa quarta-feira, a Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou pandemia da doença.

>> Novo coronavírus: mais grave do que se pensa

Até o fim da última quarta-feira (11), o Brasil tinha 69 casos confirmados. O Nordeste tinha quatro casos até então: três na Bahia e um em Alagoas. Com a confirmação em Pernambuco, o número cresce na região. A distribuição dos casos pelo Brasil é: São Paulo (46), Rio de Janeiro (13), Rio Grande do Sul (2), Bahia (3), Distrito Federal (2), Alagoas (1), Minas Gerais (1) e Espírito Santo (1).

>> O que significa uma pandemia e o que muda com a declaração da OMS sobre coronavírus

>>Coronavírus, a pandemia que se propagou viajando na cabine do avião

>>Leia relatos de brasileiros sobre rotina na Itália após coronavírus

Desde o dia 25 de fevereiro, a Secretária de Saúde de Pernambuco contabilizou 34 notificações. A primeira suspeita envolvendo criança, na faixa etária entre 0 e 10 anos, tinha aparecido no boletim do dia 6 de março. Os casos notificados foram acolhidos em serviços privados do Recife e Olinda e no Hospital Universitário Oswaldo Cruz (Huoc), além de unidade de saúde da Paraíba (dois casos suspeitos de Caruaru, notificados anteriormente pelo estado vizinho, mas já transferidos para o banco de dados pernambucano). Somente um caso não chegou a ser admitido em nenhum serviço – a coleta do material laboratorial foi feita por uma equipe do município na própria residência.

O secretário de saúde do Estado, André Longo, reiterou durante a coletiva desta manhã (12) que não há motivo para pânico e que a comunicação com a população está sendo feita da forma mais ágil possível. "Essa situação tem exigido um esforço grande do sistema de saúde e nós mantemos nosso compromisso da transparência absoluta das informações e da comunicação mais ágil possível com a sociedade pernambucana. Queríamos passar as informações com muita tranquilidade pra população, nada de pânico, nada de medidas intempestivas que possam trazer repercussão negativa tanto para as pessoas quanto para o sistema de saúde", disse o secretário.

Comentários

Últimas notícias