Eleições 2020

Charbel critica Patrícia Domingos por ter defendido saída da capital do Grande Recife Consórcio de Transporte

Patrícia afirma que sua proposta é para que o Recife tenha autonomia no transporte entre os bairros, mas se mantenha no consórcio, responsável pelo transporte intermunicipal de acordo com a legislação

JC
JC
Publicado em 20/09/2020 às 20:48
Notícia

DIVULGAÇÃO
"Ou o prefeito faz com que o município entre de vez no Consórcio tomando o protagonismo ou se retira e toma as rédeas do transporte público municipal", disse Charbel - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

JC
Eleições 2020 - JC

O candidato a prefeito do Recife Charbel Maroun (Novo) criticou a também candidata Patrícia Domingos (Podemos) por ela ter defendido a retirada da capital pernambucana do Grande Recife Consórcio de Transporte. A candidata havia dito na manhã da última sexta-feira (18), durante agenda no Terminal Integrado do Barro, na Zona Oeste, que iria retirar o Recife do consórcio caso fosse eleita. Mas à tarde no mesmo dia, ela recuou e afirmou que a gestão continuaria integrando o órgão, e a prefeitura passaria a ser responsável pelo transporte público municipal, entre os bairros. 

>> Patrícia Domingos recua e diz que capital não sairá do Grande Recife Consórcio de Transporte

Durante agenda no Barro, Patrícia defendeu a recuperação da autonomia do Recife na gestão do transporte público e criticou o Consórcio. "O Recife é uma voz passiva dentro do consórcio, responsável por um sistema que está massacrando o povo, com ônibus lotados, sem conforto e linhas inadequadas. O Consórcio Grande Recife não está a serviço do povo. Está a serviço de quem?", disse a candidata. Sobre a retirada da capital pernambucana do Consórcio Grande Recife, a delegada afirmou que, uma vez prefeita, pretende realizar uma nova licitação, “com transparência e defendendo os interesses dos passageiros”, completou. 

Mais tarde, ao JC, a delegada afirmou que o município não sairá do Consórcio Grande Recife caso seja eleita. "Vamos continuar participando no que tange ao transporte intermunicipal. Pela nossa proposta, apenas a gestão do transporte entre os bairros que passará a ser de total autonomia da cidade", pontuou a candidata. "O transporte municipal precisa ser gerido por alguém que cobre qualidade na prestação do serviço público", disse Patrícia.  

A Câmara do Recife aprovou a lei que possibilitou a adesão do município ao consórcio no ano de 2007. Para reverter isso, seria necessária a aprovação de uma nova lei pelos vereadores. No sábado (19) a delegada ressaltou, em seu Instagram, que o Consórcio Grande Recife é responsável pelo transporte intermunicipal por força de lei. 

Segundo Charbel, "a desculpa da necessidade de lei" não deve ser usada para que o Recife permaneça como "refém" do consórcio. "Vale dizer que grande parte das propostas e projetos do prefeito, em qualquer área, devem ser aprovados por lei junto aos vereadores. Dizer que vai cuidar do transporte municipal (entre os bairros) e deixar o resto com o Consórcio Grande Recife é o mesmo que retirar o município da sociedade, sem falar que também precisa de lei a ser aprovada na Câmara dos Vereadores. O Recife é sócio do Consórcio e deve realizar o seu protagonismo", disse Charbel. 

O candidato do Novo aponta duas alternativas para resolver os problemas do transporte público no município: "Ou o prefeito faz com que o município entre de vez no Consórcio tomando o protagonismo ou se retira e toma as rédeas do transporte público municipal", disse Charbel. 

Para Charbel, a gestão municipal dever impor a melhoria do transporte público ao Grande Recife e fazer os aportes determinados na época em que aderiu ao consórcio. "Do contrário, deve o Recife se retirar e assumir o controle sobre o transporte público municipal como faz a maioria das capitais. É lamentável a esta altura ver vários pré-candidatos sem saber como trabalhar para melhorar a qualidade de vida dos recifenses", pontuou Charbel. 

Repercussão

No sábado (19), começou a circular nas redes sociais de apoiadores da candidata um card contendo parte desta matéria do JC e a informação de que a reportagem teria errado ao dizer que a delegada havia recuado na decisão de retirar a cidade do consórcio. "O Recife vai sair do Grande Consórcio, mas o Grande Consórcio continuará existindo na cidade, que terá autonomia para trazer novas empresas e maior competitividade", diz a imagem, seguida da hashtag #todoscompatricia.

No início da tarde, a própria Patrícia voltou a falar sobre o tema em uma série de stories no seu Instagram, mas sem mencionar o Jornal do Commercio. "Estou passando aqui para reafirmar que o nosso projeto para o futuro do Recife é a autonomia na gestão do transporte municipal. A prefeitura passará a gerir todo o transporte municipal, realizando as licitações de acordo com o que determina a lei e exigindo a prestação de um serviço de qualidade, com dignidade para a população. O transporte intermunicipal, por força de lei, é de responsabilidade do Consórcio Grande Recife, mas o transporte municipal a prefeitura vai assumir e vocês vão ver o quanto vai melhorar", disse a candidata.

As informações elencadas nos stories da delegada vão de encontro ao que ela disse ao repórter Marcelo Aprígio na sexta-feira. A gravação da entrevista, inclusive, pode ser conferida abaixo. Nela, é possível ouvir Patrícia afirmando que "o município não sairá do Consórcio Grande Recife".

 

Resposta

A delegada foi procurada para se manifestar sobre as críticas de Charbel, mas não retornou o contato até a última atualização desta matéria.  

JC
Eleições 2020 - FOTO:JC

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias