ELEIÇÕES 2020

'Vai começar uma nova articulação da oposição no estado de Pernambuco', diz Marília Arraes (PT) após derrota no Recife

Marília disse ainda que fez uma campanha limpa, diferente, segundo ela, da feita por João Campos

JC
JC
Publicado em 29/11/2020 às 20:38
Notícia

Felipe Ribeiro/JC Imagem
Com 100% das urnas apuradas, a petista conseguiu 348.126 dos votos válidos - FOTO: Felipe Ribeiro/JC Imagem
Leitura:

Candidata derrotada na disputa pela Prefeitura do Recife neste domingo (29), a deputada federal Marília Arraes (PT) afirmou que o oposição ao PSB em Pernambuco passará por um rearranjo político. A petista, que recebeu 348.126 votos (43,73%%), disse que, apesar do resultado, está muito feliz, pois essa foi a primeira vez que uma mulher chegou ao segundo turno das eleições no Recife.

» João Campos (PSB) é eleito prefeito do Recife, vencendo Marília Arraes (PT)

» 'Vamos governar junto do povo todos os dias', diz João Campos (PSB) após ser eleito prefeito do Recife

» No Recife, total de votos brancos, nulos e abstenções foi maior do que os votos de Marília Arraes (PT)

"É importante aqui deixar marcado que vai começar uma nova articulação da oposição no Estado de Pernambuco. Nós não temos condições de articular com um grupo que além de fazer tão mal na gestão, seja do Estado ou do município, também trata a política da forma que tratou", declarou Marília. "Estou muito feliz com tudo que nós fizemos. Nunca uma mulher na cidade do Recife tinha conseguido chegar ao segundo turno, e esse é um grande avanço (...). Também estou muito feliz porque nessa campanha a gente viu reacender a esperança de muita gente. Viu várias pessoas passarem a acreditar no projeto, indo para a rua de verdade com vontade de votar, com gosto de votar. E só isso já é uma grande vitória", disse ainda.

Críticas ao PSB

A deputada só discursou após o primeiro pronunciamento de João Campos (PSB) como prefeito eleito e criticou seu adversário, afirmando que sua campanha "foi limpa", diferente, segundo ela, da feita pelo socialista. "Fizemos uma campanha limpa diferente do nosso adversário", enfatizou a petista, dizendo que o PSB colocou "a fé das pessoas no meio, fazendo diversos ataques não fundamentados, que a própria justiça tirou do ar".

"Lutamos contra duas máquinas. Desde 2006 nenhuma candidatura do PSB partia dessa maneira, tinha essa dificuldade de ganhar uma eleição", completou.

A petista acompanhou a apuração ao lado da família e de lideranças do partido em casa, de onde seguiu para um hotel no bairro da Soledade, no Centro do Recife, para se pronunciar sobre o resultado eleitoral.

Aliados

Várias lideranças que apoiaram a candidatura da deputada federal compareceram ao Hotel D'Oro, no bairro da Soledade, onde Marília acompanhou a apuração, para aguardar o resultado das urnas. Entre os presentes estavam o prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Anderson Ferreira (PL), e o deputado estadual Ricardo Teobaldo (Podemos), ambos presidentes estaduais das suas legendas, a deputada federal pelo Rio Grande do Norte Natália Bonavides (PT), os vereadores do Recife Jairo Brito (PT) e Aline Mariano (PP), o deputado estadual Wanderson Florêncio (PSC) e as codeputadas Jô Cavalcanti e Kátia Cunha (PSOL).

Para a deputada estadual Teresa Leitão (PT), apesar da derrota, politicamente Marília sai dessa eleição maior do que entrou. "Essa foi uma candidatura construída vencendo obstáculos, que se mostrou competitiva, que se mostrou identificada com a mudança, identificada com a sociedade, com o povo do Recife e cresceu. Marília sai dessa campanha maior do que entrou, sem dúvida, e como tivemos o PSOL na vice, é uma nova relação que se cria na esquerda em Pernambuco", detalhou a parlamentar.

Apesar de atualmente fazer oposição ao PSB no Recife, o PT ainda apóia os socialistas no âmbito estadual e até possui cargos na gestão Paulo Câmara (PSB). Questionado se o posicionamento do PT vai mudar diante do resultado das eleições, o deputado federal Carlos Veras (PT) declarou que a questão ainda precisa ser analisada pela cúpula da agremiação no Estado.

"Nós, do Partido dos Trabalhadores, vamos sentar, avaliar o processo e temos uma responsabilidade grande, temos praticamente a metade da população do Recife querendo que o PT governe a cidade, então vamos continuar construindo um projeto que favoreça a melhoria da qualidade de vida de cada um", pontuou Veras.

Comentários

Últimas notícias