Projeto

Servidores públicos de todo o Brasil poderão ser obrigados a se vacinar contra covid-19

Entenda o projeto que tramita na Câmara dos Deputados e torna obrigatória a vacinação

Agência Câmara com Redação
Agência Câmara com Redação
Publicado em 28/12/2020 às 12:27
REUTERS/MICHAEL WEBER
VACINAÇÃO Governo deseja comprar 331,2 milhões de seringas este ano - FOTO: REUTERS/MICHAEL WEBER
Leitura:

O Projeto de Lei 5649/20 obriga todos os servidores e agentes públicos da União, dos estados e dos municípios a se vacinarem contra o novo coronavírus (covid-19). Segundo o texto, servidores públicos efetivos, comissionados e temporários, de atividades essenciais e não essenciais, ficam obrigados a cumprir o calendário previsto no Plano Nacional de Vacinação. A proposta tramita na Câmara dos Deputados.

>> Conheça o plano de vacinação contra a covid-19 lançado pelo governo federal nesta quarta

>> 'Ninguém me pressiona para nada', diz Bolsonaro sobre Brasil ficar para trás no início de vacinação contra covid-19

A imunização deverá ser comprovada por meio da apresentação do cartão de vacinação devidamente preenchido e assinado por órgãos de saúde ou por médicos credenciados. O servidor público que não tiver se submetido à vacina contra a Covid-19, ao final de todas as etapas do Plano Nacional de Vacinação, sofrerá penalidades administrativas.

Autor do projeto, o deputado Fausto Pinato (PP-SP) afirma que o objetivo da medida é garantir o retorno dos servidores às atividades presenciais com segurança e combater a "postura negacionista" de líderes políticos que relativizam a importância da imunização para a saúde coletiva.

“Em meio a expectativa de um grande plano de vacinação, instalou-se no País a politização da vacina, alimentada com notícias falsas (fake news) e negacionismo por parte de líderes políticos e governamentais, os quais influenciam muitos brasileiros a não se imunizar”, observa Pinato. O projeto foi apresentado pelo deputado, mas ainda não foi distribuído para comissões.

Servidores

Segundo o deputado, os servidores públicos também são alvos desta onda de desinformação. "É perigoso e controverso, pois a não-imunização de uma parcela deles pode afetar, futuramente, o trabalho de retorno às atividades presenciais nos órgãos públicos”, conclui.

A reportagem verificou que as sanções propostas pelo deputado estão previstas na no At. 129 da Lei Nº 8.112.Esse artigo prevêadvertência que será aplicada por escrito.

Confira o projeto:

Comentários

Últimas notícias