CORONAVÍRUS

Bolsonaro afirma que é a favor que mãe, Olinda Bolsonaro, de 93 anos, tome vacina contra covid-19

O presidente, que anteriormente já havia se posicionado contra a vacinação, está mudando o tom em relação a imunização da população

JC Estadão Conteúdo
JC
Estadão Conteúdo
Publicado em 09/02/2021 às 14:36
Notícia
Reprodução/Instagram
No último dia 18 de fevereiro, o presidente negou que sua mãe tivesse recebido a CoronaVac - FOTO: Reprodução/Instagram
Leitura:

Ao ser questionado se vacinaria a mãe, Olinda Bolsonaro, de 93 anos, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), afirmou que, durante uma espécie de plebiscito com os irmãos, optou pela imunização da idosa contra a covid-19. A afirmação foi dada durante uma entrevista concedida à TV Band.

"Hoje meus irmãos decidiram, estão votando, se a minha mãe vai ser vacinada ou não, com 93 anos de idade. Eu já dei lá, votei lá sim. Com 93 anos, deixa ela ser vacinada, mesmo sendo uma vacina que ainda não está ainda comprovada cientificamente", comentou o presidente.

A fala de Bolsonaro de que as vacinas utilizadas no Brasil não possuem eficácia comprovada é falsa. No país, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária aprovou o uso da Coronavac, produzida pelo Instituto Butatan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, e da AstraZeneca, desenvolvida pela Universidade de Oxford em parceria com a farmacêutica AstraZeneca. Ambas passaram por todas as fases de teste estabelecidas pela Anvisa e tiveram a eficácia comprovada.

O presidente, que anteriormente já havia se posicionado contra a vacinação, está mudando o tom em relação a imunização da população. Nesta segunda-feira (8), Bolsonaro afirmou que a vacinação contra a covid-19 poderá auxiliar na retomada da economia. "Estamos fazendo o possível. Estamos preocupados com a vida. Se vacinar, a chance de voltarmos à normalidade na economia aumenta exponencialmente. Queremos isso aí", disse o presidente. Bolsonaro também negou ter sido contra a vacina. "Nunca fui contra a vacina sempre disse 'passou pela Anvisa, compra'", destacou.

Comentários

Últimas notícias