VACINA

Líder do governo Bolsonaro, Fernando Bezerra Coelho recebe primeira dose da vacina contra covid-19

A imunização ocorreu pelo sistema drive-thru em Petrolina, no Sertão do Estado, que realizou neste sábado (3) a vacinação de pessoas com 63 anos

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 03/04/2021 às 12:53
Notícia
JONAS SANTOS / DIVULGAÇÃO
Para senador Fernando Bezerra Coelho, caso Miguel seja candidato a governador de Pernambuco em 2022, ele não poderá tentar a reeleição - FOTO: JONAS SANTOS / DIVULGAÇÃO
Leitura:

O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB), recebeu a primeira dose da vacina contra covid-19. A imunização ocorreu pelo sistema drive-thru em Petrolina, no Sertão do Estado, que realizou neste sábado (3) a vacinação de pessoas com 63 anos. O senador pernambucano recebeu a primeira dose da Coronavac, cuja a segunda será aplicada em 21 dias.

 “Cada dose aplicada é um passo que damos para vencer a guerra contra a pandemia. Com o ritmo de imunização ganhando velocidade em todo o país, milhões de brasileiros também estarão protegidos nos próximos meses”, disse Bezerra Coelho.

>>Brasil confirma mais 2.922 mil mortes por covid-19 em 24 horas

>>Com Miguel Coelho cotado para disputar o governo de Pernambuco, oposição não desiste de aliança com o MDB

>>Fernando Filho afasta rumores de reaproximação do seu grupo com o PSB e defende 'projeto diferente' no Estado

“Agradeço à equipe da Prefeitura de Petrolina e aos profissionais de saúde que estão levando esperança aos grupos prioritários.”, completou. O parlamentar fez questão de registrar o momento, acompanhado do seu filho, o prefeito de Petrolina Miguel Coelho (MDB). Cerca de 40 mil doses já foram aplicadas em Petrolina.

DEFESA

O senador Fernando Bezerra Coelho tem rebatido as críticas de que o governo federal seria  insensível diante do agravamento da pandemia da covid-19. O parlamentar também tem feito algumas ponderações sobre a adoção de medidas mais restritivas para conter o avanço da doença, afirmando que o presidente da República também tem defendido “o outro lado da moeda”, com relação aos setores produtivos mais atingidos durante esse período de fechamento.

“Qualquer decisão que implique a restrição de atividades produtivas, deve ser precedida por um amplo debate e diálogo, para que você possa conciliar a necessidade de preservação dos empregos e rendas, para que as famílias sustentem suas necessidades.”, pontuou Coelho. “Por outro lado, temos que ponderar a oferta de leitos na rede pública e privada, sobretudo de leitos de UTI para atender a população acometida pelo coronavírus”, disse em entrevista recente. "Ele (Jair Bolsonaro) tem sido muito sensível e feito transferência de recursos importantes (aos estados) para que não falte o atendimento na ponta”, afirmou. 

Comentários

Últimas notícias