DEFESA

Governadores do Nordeste saem em defesa de Paulo Câmara após publicação de Bolsonaro

Os governadores afirmaram que vão continuar "trabalhando para salvar vidas" e declararam apoio ao governador Paulo Câmara após o presidente Jair Bolsonaro compartilhar um vídeo em que o apresentador Sikêra Jr. faz críticas ao gestor

Mirella Araújo Renata Monteiro
Mirella Araújo
Renata Monteiro
Publicado em 04/04/2021 às 17:28
Notícia
ALUÍSIO MOREIRA/SEI
RÉPLICA Para Paulo Câmara, Bolsonaro trata a dor das pessoas como "mimimi" e o luto como fraqueza - FOTO: ALUÍSIO MOREIRA/SEI
Leitura:

Governadores de outros estados do Nordeste foram às redes sociais, neste domingo (4), declarar apoio ao governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), em resposta ao episódio envolvendo o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) e o apresentador Sikêra Jr. No Twitter, Bolsonaro publicou um vídeo em que Sikêra faz críticas ao governador pernambucano, questionando sobre o destino dos recursos enviados pelo governo federal para o combate da covid-19.

O governador da Bahia, Rui Costa (PT), afirmou que os governadores vão “continuar unidos, trabalhando incansavelmente pela vacina para salvar vidas”.

"Minha solidariedade ao governador de Pernambuco, Paulo Câmara, que em pleno domingo de Páscoa virou alvo de ódio e da politicagem daquele que deveria trabalhar para salvar vidas. Esses ataques covardes não vão nos desanimar", afirmou Costa, também pelo Twitter.

 

"Domingo começou com a proliferação de mentiras contra governadores", declarou o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), também em apoio à Paulo Câmara. "Deplorável. Lembrei-me da Bíblia, Livro do Apocalipse: À besta foi dada uma boca para falar palavras arrogantes e blasfemas e lhe foi dada autoridade para agir durante quarenta e dois meses", publicou o gestor.

O governador do Piauí e presidente do Consórcio Nordeste, Wellington Dias (PT), também se manifestou em solidariedade ao socialista, afirmando que o gestor foi "alvo de fake news, de mentiras mesmo". "Ataques sem sentido à quem está na linha de frente, lutando com o povo de Pernambuco, do Nordeste e do Brasil para salvar vidas. Só muitas bênçãos de Deus!", publicou Dias.

 

 

Paulo Câmara já havia se posicionado, na tarde deste domingo, considerando a publicação de Bolsonaro e as falas do apresentador como “lamentáveis”. Através da mesma plataforma, o socialista disse que o presidente estava disseminando notícias falsas e que deveria "fazer parte do enfrentamento à pandemia".

"Difícil acreditar que em um dia como hoje, domingo de Páscoa, sejamos obrigados a nos deparar com novas atitudes lamentáveis do Presidente da República. Em lugar de disseminar fake news, por que não assumir suas verdadeiras atribuições e fazer parte do enfrentamento à pandemia?", questionou o governador.

Ainda de acordo com o governador, o trabalho que tem sido desenvolvido em Pernambuco tem como principal objetivo "salvar vidas", enquanto o presidente "trata a dor do outro como mimimi e o luto como fraqueza". "Nossa maior missão é salvar vidas. Infelizmente, de alguém que trata a dor do outro como mimimi e o luto como fraqueza, não se pode esperar muito. Mas, movidos por espírito público e princípios humanitários, que alguns parecem desconhecer, vamos seguir na luta", observou.

Paulo Câmara diz, ainda, que "apesar do negacionismo, egoísmo, fakenews, de quem se dedica a desagregar e dividir", o Brasil vai vencer a guerra contra a covid-19, e garante que não vai medir esforços para superar esse momento tão difícil pelo qual a humanidade passa. O governador finaliza a série de mensagens desejando que "a Páscoa seja a passagem para tempos novos, onde a paz, a verdade e a vida prevaleçam".

Bolsonaro

Nesse domingo (4), o presidente Jair Bolsonaro reproduziu em sua conta no Twitter um vídeo em que o apresentador de TV Sikêra Jr. faz críticas a Paulo Câmara, a partir de cifras retratadas em seu programa como verbas da União destinadas ao Estado.

"Paulo Câmara, esse dinheiro não é teu, é para salvar vidas", provoca o apresentador de TV após citar números que ele atribui a repasses do governo federal. "Senhores governadores, criem vergonha na cara. Digam ao seu povo quanto receberam para cuidar das vidas, e não tomar essas vidas, não matar as pessoas", acrescenta Sikêra Jr.

Confira:

Comentários

Últimas notícias