Eleições 2022

Huck critica 'olhar pelo retrovisor' e é rebatido por outros presidenciáveis

O apresentador prosseguiu com o seu raciocínio, dizendo que não é mais possível ficar citando "centímetros a mais" que um ou outro governo avançou em algumas áreas no passado

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 17/04/2021 às 21:24
Notícia
GABRIELA BILÓ/ESTADÃO CONTEÚDO
ALTERNATIVA. O apresentador Luciano Huck renovou o seu contrato com a Rede Globo e não pensa em ir às urnas - FOTO: GABRIELA BILÓ/ESTADÃO CONTEÚDO
Leitura:
O apresentador de televisão Luciano Huck criticou a forma de fazer política olhando para o passado e foi imediatamente rebatido por outros presidenciáveis durante o painel "Desafios do Brasil", do Brazil Conference at Harvard & MIT, evento organizado pela comunidade de estudantes brasileiros de Boston (EUA), em parceria com o Estadão.
 
"Só estou enxergando narrativas pelo retrovisor, vendo dificuldade de olhar para frente. Não acho que seja bom", disse ele. "Não adianta pensar com a cabeça do século passado e perder as oportunidades que vêm pela frente. Temos que deixar de lado nossas vaidades e entender que, mesmo com o enorme potencial, o Brasil não deu certo", continuou.

 
O apresentador prosseguiu com o seu raciocínio, dizendo que não é mais possível ficar citando "centímetros a mais" que um ou outro governo avançou em algumas áreas no passado. Isso porque, de acordo com ele, o Brasil, precisa avançar quilômetros.
 
Imediatamente, os demais participantes rebateram a posição de Huck quando tiveram a oportunidade de falar. O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), disse que "olhar para trás é um aprendizado, não é de todo ruim". O governador de São Paulo, João Doria (PSDB) também afirmou que entender o passado pode ajudar a projetar adequadamente os que se fazer no presente. Já o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), disse que é preciso, sim, conhecer o passado para que os erros não sejam repetidos. 

Últimas notícias