Projeto de Lei

Câmara dos Deputados estuda isentar de Imposto de Renda gastos com a covid-19

O texto propõe, ainda, que caso haja incapacitação para o trabalho, a pessoa fique isenta de carência diante da Previdência Social

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 24/05/2021 às 16:12
Notícia
CLAUDIO ANDRADE/AGÊNCIA CÂMARA
O autor do PL é o deputado pernambucano Wolney Queiroz (PDT) - FOTO: CLAUDIO ANDRADE/AGÊNCIA CÂMARA
Leitura:

De autoria do deputado federal pernambucano Wolney Queiroz (PDT), o Projeto de Lei 1100/21, que está em tramitação na Câmara dos Deputados, pretende isentar de Imposto de Renda (IR) os gastos com tratamentos de complicações e sequelas oriundas da covid-19. O texto propõe, ainda, que caso haja incapacitação para o trabalho, a pessoa fique isenta de carência diante da Previdência Social. As informações são da Agência Câmara de Notícias.

“Considerando a condução desastrosa da pandemia (no País) e o número de infectados e enfermos, cuja parcela significante terá sequelas por vários anos ou sem fim à vista, faz-se necessária uma forma de compensação dos danos no meio familiar e no trabalho”, afirmou Wolney, sobre o projeto.

>> CPI da Covid critica aglomeração liderada por Bolsonaro; Eduardo Pazuello e Marcelo Queiroga são reconvocados

>> Número de mortes por covid-19 no Brasil chega a 449.068 neste domingo (23)

>> Pernambuco tem 330 pessoas com sintomas de covid-19 na fila de espera por leitos

>> Covid-19: Pernambuco tem domingo com mais de 2 mil novos casos e 40 mortes; já são 462.368 infecções no Estado

Atualmente, o PL está em caráter conclusivo e precisa ser analisado pelas comissões de Seguridade Social e Família; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

A ideia é alterar a Lei 7.713/88, que já possibilita a isenção de imposto de renda em alguns casos de doenças, como o câncer, por exemplo. "A Lei de Benefícios da Previdência Social, que atualmente exige para o auxílio-doença no mínimo 12 contribuições pagas ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS)", também seria modificada, conforme informações da Câmara dos Deputados.

Para garantir que a futura lei seja efetiva, o PL agrupa as eventuais sequelas da covid-19 já identificadas pela Organização Mundial de Saúde (OMD) em grupos: "redução das capacidades respiratória, renal ou motora ou do desempenho cardiovascular; e danos neurológicos e psicológicos associados".

Comentários

Últimas notícias