CPI DA COVID

Na CPI da Covid, Mayra Pinheiro, a Capitã Cloroquina, diz não possuir estudo publicado sobre medicamentos

Mayra se apresentou à CPI da Covid nesta terça-feira (25)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo
Publicado em 25/05/2021 às 20:53
ANDERSON RIEDEL/PR
Mayra Pinheiro é formada em medicina, tem especialização em medicina do trabalho e obteve o diploma de doutora com um trabalho sobre bioética pela Universidade do Porto, em Portugal - FOTO: ANDERSON RIEDEL/PR
Leitura:
A secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde e médica, Mayra Pinheiro, afirmou à CPI da Covid que, apesar de ter trabalhos próprios publicados "em várias áreas", nenhum é sobre o uso de medicamentos. Mayra é formada em medicina, tem especialização em medicina do trabalho e obteve o diploma de doutora com um trabalho sobre bioética pela Universidade do Porto, em Portugal.
Mayra respondia a perguntas feitas pelo senador Eduardo Braga (MDB-AM) que havia questionado: "Com que autoridade vossa senhoria fala sobre estudos científicos se a senhora não tem nenhum trabalho e nenhum estudo científico na sua carreira sobre medicamentos?". Mayra, em resposta, afirmou: "Como profissional da Saúde e como médica, com 30 anos de formação e atuação em UTI, eu conheço quase tudo hoje disponível de medicamentos para pacientes graves".
A secretária, entretanto, destacou que no caso da crise sanitária em Manaus (AM) não esteve nas Unidades Básicas de Saúde na capital amazonense, mas recebeu relatos da situação de "caos". Conforme relatou, documento organizado pelo Ministério da Saúde aponta para unidades de atendimento trancadas, falta de medicamentos e ausência dos protocolos de triagem aos pacientes com covid-19.

Poucas visitas de Bolsonaro 

Mayra Pinheiro, disse ainda que lembra de apenas uma visita do presidente Jair Bolsonaro à pasta para discutir com toda a equipe ações de enfrentamento à pandemia.
"Acho que o presidente fez única visita ao ministério da Saúde, que me lembre, em reunião que foram apresentados planejamentos estratégicos das secretarias", afirmou ela ao vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que destacou a informação ao relator, Renan Calheiros (MDB-AL).
Mayra também respondeu a Randolfe não lembrar de ter visto o presidente fazer defesa do isolamento social em algum momento. A secretária ainda afirmou que não teve conhecimento da reunião no Palácio do Planalto em que se discutiu alterar a bula da cloroquina, para que o documento passasse a recomendar o remédio no tratamento da covid. O encontro foi revelado à CPI pelo ex-ministro Luiz Henrique Mandetta.
"Qualquer medicamento só poder ter bula alterada pela Anvisa", lembrou Mayra aos senadores.
A secretária ainda foi questionada por Randolfe sobre um áudio revelado em que Mayra tece críticas à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). "Era uma constatação da época", disse.
 

Últimas notícias