Alepe

''A responsabilidade é do governador Paulo Câmara'', diz Priscila Krause sobre ação da PM em protesto no Recife

Segundo a deputada estadual, esta inclusive não seria a primeira vez que o chefe do Executivo teria colocado "a polícia em cima de manifestantes"

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 31/05/2021 às 18:03
Notícia
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Priscila Krause, deputada estadual - FOTO: Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Leitura:

Após a ação da Polícia Militar no Centro do Recife que deixou duas pessoas gravemente feridas, durante protesto contra o governo Bolsonaro no último sábado (29), a deputada estadual Priscila Krause (DEM) afirmou que a atuação das forças policiais foi "desastrosa" e que a responsabilidade pela operação é do governador Paulo Câmara (PSB). A parlamentar diz que considera a manifestação inoportuna, por conta da alta no número de casos de covid-19 no Estado, mas, na visão dela, isso não justificaria a reação "desproporcional" que a PM teve naquele momento.

"Nada justifica uma ação daquela por parte da polícia. Ela foi desproporcional ao que estava acontecendo; e do ponto de vista da tática, foi desastrosa, pois feriu pessoas que nem do protesto faziam parte. Outro ato em que ficou clara a desproporção da força foi o que fizeram com (a vereadora) Liana Cirne (PT). Por mais que ela estivesse parada na frente do carro da polícia, se ficasse sentada, deitada no chão, é inadmissível ele jogar um jato de spray de pimenta no rosto dela. Essas ações não dialogam com a democracia", cravou a deputada.

>> Paulo Câmara afasta oficial que comandou ação da PM durante protesto contra Bolsonaro no Recife

>> Ato com aglomeração contra Bolsonaro no Recife é dispersado pela polícia com balas de borracha e gás de pimenta

>> Vereadora presta queixa após polícia disparar spray de pimenta contra ela em protesto contra Bolsonaro no Recife

>> Vice-governadora de Pernambuco, Luciana Santos diz que Estado não autorizou PM a dispersar protesto contra Bolsonaro

>> Líder do governo Paulo Câmara repudia 'ações truculentas' da PM no ato contra Bolsonaro

Durante o protesto, enquanto tentava negociar com os policiais, a vereadora Liana Cirne foi atingida por um jato de spray de pimenta lançado por um policial de dentro de uma viatura da Radio Patrulha. No momento em que o jato toca o seu rosto, a parlamentar imediatamente cai no chão e é amparada por alguns manifestantes. Ela foi encaminhada para a UPA da Abdias de Carvalho com lesões nos olhos e dificuldade para respirar, mas foi liberada no mesmo dia. A vereadora prestou queixa do caso na Polícia Civil.

No próprio sábado, o governador Paulo Câmara divulgou um vídeo no qual anuncia que determinou o afastamento do oficial que comandou a ação para dispersar a manifestação e do policial que agrediu Liana Cirne. Na visão de Priscila Krause, contudo, o principal responsável pelo ato seria o próprio chefe do Executivo estadual.

"A responsabilidade disso tudo é do governador Paulo Câmara, do PSB, que não é a primeira vez que coloca a polícia em cima de manifestantes. Vocês já esqueceram da cavalaria na Avenida Agamenon Magalhães, quando os técnicos de enfermagem realizavam um protesto? O governador do Estado é comandante e chefe da Polícia Militar, assim como o presidente da República é comandante e chefe do Exército, das Forças Armadas. Então não venha agora o governador dizer que tem uma postura diferente, democrática. O Batalhão de Choque não vai por vontade própria para uma manifestação. O comandante da operação vai ser o bode expiatório, mas o governador grava um vídeo e coloca na internet e fica tudo certo?", questionou a parlamentar.

Através de nota, o líder do governo na Assembleia Legislativa de Pernambuco, Isaltino Nascimento (PSB), afirmou que repudia as "ações truculentas" promovidas pela PM no sábado e disse ter "absoluta confiança no governador Paulo Câmara, que imediatamente tomou as medidas necessárias para apuração e, consequente, punição dos responsáveis". O Palácio do Campo das Princesas foi procurado pela reportagem, mas disse que não comentaria as declarações da deputada.

Comentários

Últimas notícias