Deputada estadual

Teresa Leitão defende a criação de uma comissão na Alepe para acompanhar investigações sobre ação da PM em protesto no Recife

Os policiais que estavam ato usaram bombas de efeito moral e desferiram vários tiros com balas de borracha contra os participantes do ato. Dois homens foram atingidos nos olhos pelos projéteis e perderam a visão

Renata Monteiro
Renata Monteiro
Publicado em 31/05/2021 às 18:37
Notícia
Foto: Roberto Soares/Alepe
Teresa Leitão (PT), deputada estadual - FOTO: Foto: Roberto Soares/Alepe
Leitura:

A deputada estadual Teresa Leitão (PT) afirmou, nesta segunda-feira (31), que vai sugerir na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) a criação de uma comissão suprapartidária para dialogar com o governador Paulo Câmara (PSB) acerca das investigações sobre a ação da Polícia Militar durante o protesto contra o governo Bolsonaro que ocorreu no Recife no último sábado (29). Na manifestação, as forças policiais que estavam no local usaram bombas de efeito moral e desferiram vários tiros com balas de borracha contra os participantes do ato. Dois homens foram atingidos nos olhos pelos projéteis e perderam a visão. A vereadora Liana Cirne (PT) recebeu um jato de spray de pimenta no rosto.

"Eu acho que nós temos que ter uma ação mais política, no sentido da exigência de que todas as providências sejam tomadas e toda a investigação seja feita, porque o que aconteceu não foi por acaso, alguém mandou fazer aquilo. E mandou de uma forma absolutamente truculenta, sem nenhum nível de profissionalismo. A minha proposta é que a Assembleia Legislativa acompanhe cada passo desse processo de investigação", declarou Teresa.

>> Com risco de perda da visão, feridos em protesto contra Bolsonaro seguem internados no Recife

>> ''A responsabilidade é do governador Paulo Câmara'', diz Priscila Krause sobre ação da PM em protesto no Recife

>> Vereadora Liana Cirne é recebida por Paulo Câmara que promete investigação rigorosa das agressões ocorridas em protesto no sábado

>> Líder do governo Paulo Câmara repudia 'ações truculentas' da PM no ato contra Bolsonaro

>> Ministro do STF, Gilmar Mendes diz que ''brutalidade'' da polícia em protesto no Recife mostra despreparo com manifestações

>> Imprensa internacional destaca protestos de rua contra Bolsonaro

No sábado, a deputada lançou uma nota na qual afirma que o protesto, do qual inclusive participou, ocorreu de forma pacífica até ser "interrompido pela brutalidade gratuita da Polícia Militar". Segundo a parlamentar, "bombas de efeito moral, metralhadoras em punho, gás de pimenta foram alguns dos equipamentos exibidos e usados" pelo policiais na ocasião.

"Como se explica um ato pacífico contra isto ser reprimido com tamanha violência pelo aparato policial do Estado? Espero que o governador se posicione e tome as providências cabíveis", declara Teresa, no texto.

Através de nota, o líder do governo na Assembleia Legislativa de Pernambuco, Isaltino Nascimento (PSB), afirmou que repudia as "ações truculentas" promovidas pela PM no sábado e disse ter "absoluta confiança no governador Paulo Câmara, que imediatamente tomou as medidas necessárias para apuração e, consequente, punição dos responsáveis". O Palácio do Campo das Princesas foi procurado pela reportagem, mas disse que não comentaria as declarações da deputada.

Comentários

Últimas notícias