Oposição

Veja famosos e políticos que apoiaram Bolsonaro, mas se arrependeram

Lista tem nomes de celebridades como Fagner, Danilo Gentili e políticos como Joice Hasselmann; popularidade de Bolsonaro tem registrado queda em pesquisas de opinião

Do jornal O Povo para a Rede Nordeste
Do jornal O Povo para a Rede Nordeste
Publicado em 29/06/2021 às 22:31
MARCOS CORRÊA/PR
Jair Bolsonaro, presidente do Brasil - FOTO: MARCOS CORRÊA/PR
Leitura:

A aprovação do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), tem caído com frequência em pesquisas de opinião. A mais recente aponta que somente 23% dos entrevistados avalia a gestão como "boa" ou "ótima", enquanto 50% considera "ruim" ou "péssima".

Não é só entre a população geral que Bolsonaro perdeu apoio. Celebridades e até mesmo políticos que o apoiaram na campanha e no começo do mandato hoje são contrários ao presidente. Veja abaixo alguns dos "arrependidos":

Famosos que se arrependeram de apoiar Bolsonaro

Dois dos exemplos mais notáveis são o apresentador Danilo Gentili e o cantor Lobão. Ambos se tornaram conhecidos como críticos ferrenhos dos governos de Lula e de Dilma Rousseff, ambos do PT, e defensores de políticas conservadoras.

Gentili passou a criticar Jair Bolsonaro após ele apontar o filho Eduardo, como candidato a embaixador do Brasil nos Estados Unidos. Lobão, por sua vez, se colocou contra o presidente já no começo do mandato, em 2019, e atualmente defende o impeachment.


Outros exemplos de celebridades são os cantores Fagner e Eduardo Costa. Em entrevistas, o cearense já chamou a gestão Bolsonaro de "ridícula", e disse que as posições do presidente o "incomodam". O mineiro, nome importante no ritmo sertanejo, disse à rádio Jovem Pan, em 2020, que se arrepende de ter "tomado partido" nas eleições 2018.

Políticos que se arrependeram de apoiar Bolsonaro

Na política, não são poucos os exemplos de quem "desembarcou" do apoio ao presidente. Mais recentemente, o deputado federal Luís Miranda (DEM-DF) ganhou os holofotes ao denunciar irregularidades do Executivo na compra de vacinas contra a Covid-19. Ex-ministros da Saúde, como Luiz Henrique Mandetta (DEM) e Nelson Teich, também saíram do governo como oposição a Bolsonaro.

No Legislativo, Kim Kataguiri (DEM-SP) e Joice Hasselmann (PSL-SP) são dois expoentes de quem apoiou a eleição do presidente, mas hoje é oposição. Kataguiri chegou a chamar Bolsonaro de "verme", enquanto Joice também troca farpas com o presidente e seus apoiadores, apesar de ter sido um de seus principais cabos eleitorais em 2018.

Comentários

Últimas notícias