Eleições 2022

André Campos diz que negativa de Geraldo Julio em concorrer a governador é 'estratégia': 'conversa tradicional de político'

Segundo Campos, a Frente Popular possui outros quadros de destaque para encabeçar uma chapa no pleito do ano que vem, mas Geraldo seria o "grande nome do PSB" para essa posição

Renata Monteiro
Cadastrado por
Renata Monteiro
Publicado em 01/09/2021 às 15:43 | Atualizado em 01/09/2021 às 15:43
Foto: Divulgação.
André Campos, presidente da Copergás - FOTO: Foto: Divulgação.
Leitura:

Ex-vereador do Recife e de Jaboatão dos Guararapes, ex-deputado estadual, ex-secretário da Casa civil e hoje presidente da Copergás, André Campos afirmou, na manhã desta quarta-feira (1º), que acredita que a recente declaração do ex-prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), de que não será candidato a governador em 2022, não passa de "estratégia". Segundo o aliado do governador Paulo Câmara (PSB), a Frente Popular possui outros quadros de destaque para encabeçar uma chapa no pleito do ano que vem, mas o atual secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado seria o "grande nome do PSB" para essa posição e, no momento certo, a coligação anunciará a sua decisão.

"Eu acho que o candidato natural a governador é Geraldo Julio. É claro que, como estratégia, as pessoas não vão dizer que o candidato é Geraldo, Geraldo não vai se posicionar como candidato, mas eu acho que o grande nome que o PSB e a Frente Popular têm é Geraldo Julio. E quando Geraldo diz que não é candidato, é porque ele não é candidato neste momento. Pode ser mais na frente. Se você for conversar com Raquel Lyra (PSDB), com Anderson (Ferreira, PL), com Miguel (Coelho, MDB), todos dizem a mesma coisa, isso é conversa tradicional de político, dizer que não é candidato, que vai ouvir as bases. Mas na hora certa a Frente Popular vai decidir e vai ganhar novamente a eleição em Pernambuco", declarou Campos, durante entrevista à Rádio Clube.

>> Possível saída de Geraldo Julio da disputa de 2022 movimenta PSB e aliados

>> Geraldo Julio não será candidato a governador em 2022 e o PSB terá que buscar outro nome; veja cenários

>> Nota do presidente estadual do PSB sobre Geraldo Julio afirma que o partido "não discute eleições agora"

>> Nome do PSB para o governo pode ser o de uma mulher que já está rodando o estado em anúncios de obras

Em agosto, em resposta a uma publicação do Blog do Edmar Lyra que afirmava que a sua candidatura ao governo era certa, Geraldo Julio divulgou uma nota dizendo que não concorrerá ao Palácio do Campo das Princesas. "Gostaria de deixar claro que desde o mês de abril comuniquei ao Governador e declarei publicamente a minha decisão de não ser candidato a governador. Reafirmo essa decisão", cravou, na ocasião.

Nos bastidores, comenta-se que o gesto do ex-prefeito pode ter duas conotações: a primeira é que o socialista estaria insatisfeito com o movimento de alguns aliados, que estão defendendo não a sua postulação, mas a de nomes como a da secretária de Infraestrutura, Fernandha Batista, o do secretário da Casa Civil, José Neto, o do secretário da Fazenda, Décio Padilha, ou até o do ex-presidente do Tribunal de Contas da União, José Múcio Monteiro.

Por outro lado, a fala de Geraldo também pode ser vista como o modo que o PSB encontrou de retirar o seu candidato ao governo da mira da oposição, que frequentemente tem divulgado investigações da Polícia Federal e de órgãos de controle sobre ações realizadas na sua gestão, sobretudo durante a pandemia. Oficialmente, o PSB diz que "não discute eleições agora", apesar de o presidente estadual do partido, Sileno Guedes, já ter defendido o nome de Geraldo Julio diversas vezes em entrevistas.

"Os nomes que colocam como possibilidades de candidatura têm grandes serviços prestados a Pernambuco e à Frente Popular. Fernandha é um quadro brilhante que está à frente da Secretaria de Infraestrutura, uma menina muito preparada e que tem muito a oferecer a Pernambuco ainda. Zé Neto é um político que nunca teve mandato, mas é uma pessoa de muita sensibilidade política, é um cara que se dá bem com a Assembleia, com os prefeitos do interior. E Geraldo foi um prefeito muito eficiente na cidade do Recife. Alguns o criticam, claro que toda gestão tem seus erros e seus equívocos, mas se você andar na periferia do Recife, você vai ver em todo lugar que você chegar alguma obra da gestão de Geraldo Julio", observou André Campos.

Comentários

Últimas notícias