PROTESTO

Em discurso na Avenida Paulista, neste 7 de setembro, Bolsonaro volta a atacar Moraes e faz ameaças

O presidente disse que não vai mais admitir decisões do ministro, que comanda o inquérito dos atos antidemocráticos e das fake news

Amanda Azevedo Estadão Conteúdo
Amanda Azevedo
Estadão Conteúdo
Publicado em 07/09/2021 às 16:23
MIGUEL SCHINCARIOL / AFP
Bolsonaro durante discurso na Avenida Paulista - FOTO: MIGUEL SCHINCARIOL / AFP
Leitura:

Em discurso durante ato na Avenida Paulista, São Paulo, na tarde desta terça-feira (7), o presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes e fazer ameaças. O chefe do Executivo disse que não vai mais admitir decisões do ministro, que comanda o inquérito dos atos antidemocráticos e das fake news

"Não vamos mais admitir que pessoas como Alexandre de Moraes continuem a açoitar a nossa democracia e desrespeitar a nossa Constituição. Ele teve todas as oportunidades de agir com respeito a todos nós, mas não agiu dessa maneira como continua a não agir", disse Bolsonaro.

"Dizer a esse ministro que ele tem tempo ainda para se redimir. Tem tempo ainda de arquivar seus inquéritos. Sai Alexandre de Moraes, deixa de ser canalha, deixa de oprimir o povo brasileiro", acrescentou.

Mais cedo, Moraes fez uma declaração após o discurso de Bolsonaro em Brasília. "Nesse Sete de Setembro, comemoramos nossa Independência, que garantiu nossa Liberdade e que somente se fortalece com absoluto respeito a Democracia", disse o ministro no Twitter.

O chefe do Executivo voltou a defender também o voto impresso neste feriado da Independência, desferindo ataques contra o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso.

"Nós acreditamos e queremos a democracia. A arma da democracia é o voto. Não podemos admitir um sistema eleitoral que não ofereça segurança por ocasião das eleições", frisou Bolsonaro. "Não é uma pessoa do Tribunal Superior Eleitoral que vai nos dizer que esse processo é seguro e confiável", complementou.

Referindo-se ao sistema eletrônico de votação, Bolsonaro assinalou que não vai participar de uma "farsa" patrocinada por Barroso. "Nós queremos eleições limpas, democráticas, com voto auditável e contagem pública dos votos".

Leia trechos do discurso em São Paulo

Não podemos admitir que uma pessoa, um homem apenas turve a nossa democracia e ameace a nossa liberdade. Dizer a esse indivíduo que ele tem tempo ainda para se redimir. Tem tempo ainda para arquivar seus inquéritos. Ou melhor, acabou o tempo dele. Sai Alexandre de Moraes, deixa de ser canalha. Deixe de oprimir o povo brasileiro. [...]

Nós devemos sim, eu falo em nome de vocês, determinar que todos os presos políticos sejam postos em liberdade. Dizer a vocês que qualquer decisão do senhor Alexandre de Moraes, esse presidente não mais cumprirá. A paciência do nosso povo já se esgotou. Ele tem tempo ainda [...] de cuidar da tua vida. Ele para nós não existe mais. Liberdade para os presos políticos. Fim da censura. Fim da perseguição aqueles conservadores, aqueles que pensam no Brasil.

Dizer mais a vocês. Nós acreditamos e queremos na democracia. A alma da democracia é o voto. Não podemos admitir um sistema eleitoral que não oferece qualquer segurança por ocasião das eleições. Dizer também que não é uma pessoa no Tribunal Superior Eleitoral que vai nos dizer que esse processo é seguro e confiável porque não é.

Não podemos admitir um ministro do Tribunal Superior Eleitoral também usando a sua caneta para desmonetizar paginas que criticam esse sistema de votação Nós queremos uma eleição limpas, democráticas ,com voto auditável e contagem publica dos votos. Não podemos ter eleições que pairem duvidas sobre os eleitores. Nós queremos eleições limpas, auditáveis e com contagem pública dos mesmos. Não posso participar de uma farsa como essa patrocinada ainda pelo presidente do Tribunal Superior Eleitoral.

Hoje temos uma fotografia para mostrar para o Brasil e o mundo. Não de quem está agora nesse carro de som, mas uma fotografia de vocês. Que as cores da nossa abandeira são verde e amarela. [...] Nós somos conservadores. Cada vez mais respeitamos as leis e nossa Constituição. E não vamos mais admitir que ministros como Alexandre de Moras continue a açoitar a nossa democracia e desrespeitar a nossa constituição. Ele teve todas as oportunidades para agir com respeito a todos nós, mas não agiu dessa maneira como continua a não agindo. Como agora a pouco interceptou um cidadão americano para ser inquerido sobre atos antidemocráticos. Uma vergonha para o nosso país, patrocinada por Alexandre de Moraes.

Esse é o primeiro problema que nós temos e tenho certeza que ao lado de vocês superaremos todos os obstáculos. Vocês nunca viram um chefe de estado se dirigir ao seu povo no limiar do seu mandato. Não quero o conforto dos palácios ou de benesses que existem em Brasília. Quero aquilo que seja justo, ao lado de vocês.

Lá trás, quando sentei praça no exército Brasileiro, jurei dar minha vida pela pátria. E tenho certeza que vocês todos, também de forma consciente, juraram dar sua vida pela sua liberdade.

A pouco encontrei uma menina que que me perguntou se era difícil ser presidente, eu falei que sim, era difícil, mas era por ela. Faço isso por nossos filhos e nossos netos e faço porque tenho o apoio de vocês. Enquanto vocês estiverem ao meu lado eu estarei sendo porta-voz de vocês. Essa missão é digna. Essa missão é espinhosa, mas também é muito gratificante. Não existe satisfação maior do que estar no meio de vocês. Pode ter certeza, onde vocês estiverem, eu estarei.

Cumprimento patriotas que estão em todos os lugares desse nosso imenso Brasil hoje se manifestando por liberdade. O povo acordou ao longo dos últimos anos, cada vez mais, a onda verde e amarela [...] Isso não tem preço, o acordar de uma nação, é a certeza que seremos grandes lá na frente.

Agora, o que incomoda alguns lá de Brasília é que nós conseguimos realmente a mudar o Brasil. [...] Acreditem, com vocês nós colocaremos o Brasil no lugar de destaque que ele bem merece. Temos uma pátria que ninguém tem e vocês sabem do que nós estamos fazendo. Hoje nós prestamos conta a vocês e não a partidos politicos. Cada vez mais há certeza do nosso futuro.

O apoio de vocês é primordial, é indispensável, para seguiremos adiante. Nesse momento quero mais um vez agradecer a todos vocês, agradecer a Deus pela minha vida e pela missão. E dizer aqueles que querem me tornar inelegível em Brasília: só Deus me tira de lá. E aqueles que pensam que com uma caneta podem me tirar da presidência, digo uma coisa pra todos: nós temos 3 alternativas: preso, morto ou com vitória. Dizer aos canalhas que nunca serei preso. A minha vida pertence a Deus, mas a vitória é de todos nós. Muito obrigado a todos.

Brasil acima de tudo, Deus acima de todos.

Comentários

Últimas notícias