Exército

Escola de Sargentos em Pernambuco tem mobilização da bancada federal do Nordeste

Das 13 cidades concorrentes ao projeto no país, apenas Abreu e Lima (PE), Santa Maria (RS) e Ponta Grossa (PR) estão na disputa para sediar a escola de sargentos

Mirella Araújo
Mirella Araújo
Publicado em 15/09/2021 às 15:14
Notícia
Divulgação / Assessoria de Comunicação Dep. Augusto Coutinho
Bancada pernambucana ganha apoio do Nordeste para instalação de Escola de Sargentos no estado - FOTO: Divulgação / Assessoria de Comunicação Dep. Augusto Coutinho
Leitura:

A bancada pernambucana no Congresso Nacional iniciou uma mobilização política na região Nordeste pela instalação da nova Escola de Sargentos das Armas do Exército (ESA) no município de Abreu e Lima, no Grande Recife. Os coordenadores da bancada, os deputados federais Augusto Coutinho (Solidariedade) e Wolney Queiroz (PDT), estiveram reunidos com o comandante do Exército, o general Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, nessa terça-feira (14), em Brasília. Também estiveram presentes os parlamentares representantes dos estados da Bahia, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe.

Das 13 cidades concorrentes ao projeto no país, apenas Abreu e Lima (PE), Santa Maria (RS) e Ponta Grossa (PR) estão na disputa para sediar a escola de sargentos. “Essa união de forças só vem somar para Pernambuco. A Escola de Sargentos é muito importante para nossa economia, já que representa um investimento da ordem de R$ 1 bilhão, e para nossa juventude. Serão 2,4 mil oportunidades para os jovens do nosso estado e de toda a região que queiram seguir carreira militar”, destacou o deputado Augusto Coutinho.

O projeto inclui a construção da escola, de uma vila olímpica, de uma vila militar e estande de tiro dentro da área do campo de instrução. A previsão é que se candidatem para a escola, por ano, 140 mil pessoas de todo o Brasil. O efetivo militar da escola, incluindo familiares, é de 10 mil pessoas. Além das seis armas, a nova escola do Exército irá formar militares do Quadro de Material Bélico, Serviço de Saúde, Música, Topografia e Aviação do Exército. A projeção é que se tenha em torno de 2,4 mil alunos e um corpo docente e apoio com 1.8 mil militares. A folha de pagamento prevista é de R$ 100 milhões.

“É uma escola de grandes dimensões e sua área deve abranger, além de Abreu e Lima, municípios como Paudalho, Tracunhaém, Araçoiaba, Camaragibe, São Lourenço e Igarassu”,  disse Coutinho,  lembrando que a área construída compreende 1.235 km dentro do Campo de Instrução Marechal Newton Cavalcanti (CIMNC).

O governador Paulo Câmara (PSB) deu garantias de acessos viários e infraestrutura para a instalação da ESA. Em abril deste ano, ele assinou um termo de compromisso que prevê um investimento de R$ 323 milhões para viabilizar o projeto no Estado. 

Também participaram da reunião com o comandante do Exército,  os coordenadores de bancada e deputados federais Pedro Lucas Fernandes (Maranhão), Átila Lira (Piauí), Bosco Costa (Sergipe) e Benes Leocádio (Rio Grande do Norte). O coordenador da bancada do Nordeste, Júlio César (Piauí), e os deputados Marcelo Nilo (Bahia) e Ruy Carneiro (Paraíba), também estiveram presentes. 

 

Comentários

Últimas notícias