LGBTQIA+

Vinícius do vôlei de praia: aceitação no esporte, mas não da família

O jogador recebeu elogios de Anitta na semana passada

MIRELLA MARTINS
MIRELLA MARTINS
Publicado em 31/07/2021 às 8:46
Notícia
INSTAGRAM/REPRODUÇÃO
Vinicius do Vôlei de praia - FOTO: INSTAGRAM/REPRODUÇÃO
Leitura:

Há uma semana, o jogador de vôlei de praia brasileiro Vinícius Freitas recebeu elogios de Anitta, que ama um esporte olímpico e tem uma quedinha por essa modalidade. Rolou até conversinha via DR do Instagram, mas logo os fãs alertaram que Vinícius era gay e vivia muitíssimo bem com o médico Rafael Helmer.  

VEJA TAMBÉM

++ A musa das Olimpíadas é brasileira. Confira

++ DJ de Tóquio ama uma música brasileira

 

Vinicius Freitas viu seu número de seguidores aumentar depois desse episódio. Confessou que saiu do armário há seis anos, foi acolhido entre os colegas de esporte, mas não teve o mesmo apoio da sua família, que ainda não aceita sua homossexualidade.

"Minha família é muito religiosa e não reagiu de uma forma muito boa. Eu sofri muito. Mas me agarrei muito a Deus e ao esporte pra permanecer firme. Ainda não me aceitam, mas aprenderam a me respeitar e dar o meu espaço. Não é como eu queria, mas é só o que eu preciso. Ainda moro com eles. É difícil me expor, falar sobre minha orientação, porque tudo que repercute respinga neles. Mas faço, porque tenho consciência que é uma forma de combater, e assim esperar que, num futuro próximo, as pessoas e as famílias mudem a mentalidade e para que ninguém sofra mais com essa intolerância enraizada", disse o jogador de vôlei ao Gay.

https://www.instagram.com/p/CREgl4BDVZF/

No esporte, ele contou também que foi justamente o oposto. Teve acolhimento: "Me sinto acolhido por todos eles. Inclusive minha equipe, que teve um papel fundamental desde o início pra que eu pudesse ser eu mesmo e encontrar o melhor de mim".

PRECONCEITO

Mas relembra que a torcida não é tão aberta assim e já foi vítima de ataques homofóbicos durante uma partida. "Uma vez, competindo na etapa do circuito brasileiro, num jogo valendo a medalha de bronze, fui vítima de ataques homofóbicos vindo de um torcedor na arquibancada. Aqueles ruídos me afetaram de certa forma. Mas graças a Deus as pessoas se mobilizaram pra acabar com aquilo que estava acontecendo. É triste que ainda estamos suscetíveis a esses ataques preconceituosos, mas por outro lado fico esperançoso, porque em outros tempos ninguém iria repreender essa atitude", lembra.

https://www.instagram.com/p/CR9EwglH-l6/

TÓQUIO

Na Olimpíada de Tóquio, comemora essa maior visibilidade. "Acho que durante os jogos olímpicos tem ficado muito claro a nossa união quanto comunidade. Vejo todo o mundo dando voz e força neste momento em que os olhos do mundo estão voltados pra quem está aqui. Fico muito feliz e esperançoso por isso", diz o atleta.

Comentários

Últimas notícias