TRISTE PARTIDA

Lázaro Ramos lamenta perda da tia-avó, Dindinha, que também o criou: "Meu Eixo. Meu Esteio"

Elenita Sá Barreto Santos faleceu nesta terça-feira (14) aos 97 anos

Romero Rafael
Romero Rafael
Publicado em 14/09/2021 às 18:57
Notícia
Mário Ladeira/Reprodução
Lázaro Ramos com sua tia-avó Dindinha - FOTO: Mário Ladeira/Reprodução
Leitura:

Lázaro Ramos amanheceu com uma notícia triste: a morte de Dindinha, aos 97 anos, que, mais do que sua tia-avó, foi também mãe, por ter ajudado a criá-lo. Dindinha era o apelido de Elenita Sá Barreto Santos, conhecida do público do ator, diretor, apresentador e escritor. Ela está presente em seu livro "Na Pele" e foi homenageada no livro infantil "Edith e a Velha Sentada".

"Ela partiu. Meu eixo. Meu esteio. E o eixo de toda a nossa família. 97 anos vividos da maneira mais generosa e alegre que eu pude conhecer", escreveu Lázaro Ramos em uma postagem no Instagram.

"Dindinha foi pro Orum. Não consigo escrever mais que isso hoje. As lágrimas não secam. As lembranças pulam, e a vontade de agradecer a ela por tudo o que inspirou na nossa família é o que nos cabe", continua.

"Obrigado, minha ancestral Elenita Sá Barreto Santos. Minha dinda. Minha mãe. Quero lembrar da senhora assim. Sorrindo, fazendo empada ou caruru e sempre com algo sábio ou bom pra oferecer. Quero um dia chegar aos pés da pessoa que a senhora foi", concluiu Lázaro Ramos.

"Tenho muito orgulho de ser filho dela"

Em 2017, quando recebeu uma premiação da revista GQ, Lázaro Ramos, que perdeu sua mãe biológica, Célia Maria, quando tinha 17 anos, subiu ao palco com Elenita e a apresentou: "Esta mulher criou 19 crianças na casa dela. Nunca teve filho de sangue, mas de coração. Tenho muito orgulho de ser filho dela. O meu livro conta essa luta por sobrevivência, mas, acima de tudo, a luta pelo direito ao afeto. O livro é sobre afeto, não sobre racismo".

Comentários

Últimas notícias