ALFINETADA

Sergio Marone questiona Mario Frias e solta: "Não fosse seus olhos azuis, jamais teria tido uma oportunidade na TV"

Ator criticou secretário de Cultura de Bolsonaro, que é contra projeto de lei que ajudaria artistas

Romero Rafael
Romero Rafael
Publicado em 16/09/2021 às 17:58
Notícia
Reprodução
O ator Sergio Marone e o secretário da Cultura Mário Frias - FOTO: Reprodução
Leitura:

O ator e apresentador Sergio Marone criticou o secretário especial da Cultura do Governo Bolsonaro, o ex-ator e apresentador Mario Frias, que comemorou a retirada de votação, no Senado, do Projeito de Lei Paulo Gustavo. O PL, que prevê ações emergenciais de auxílio à cultura na pandemia, já havia sido adiada pelo menos quatro vezes, e deverá voltar à pauta do Senado na semana que vem.

"Quero agradecer o senador Fernando Bezerra Coelho, líder do Governo no Senado, por ter retirado de pauta o Projeto de Lei Paulo Gustavo. Este projeto é completamente absurdo!", tuitou Mario Frias, celebrando o feito do senador pernambucano do MDB, que pediu adiamento na votação do projeto.

Diante do tuíte do ex-colega de profissão, Sergio Marone respondeu: "Isso, deixa um monte de ex-colegas seus passando fome. Entendo seu amargor por não ter seguido na carreira artística, mas entenda... não fosse seus olhos azuis, jamais teria tido uma oportunidade na TV".

Sergio Marone aproveitou, ainda, para inquirir Mario Frias sobre o Casinha Games, que recebeu da Secretaria Nacional de Fomento e Incentivo à Cultura (Sefic) o total de mais de R$ 4,6 milhões, conforme Diário Oficial publicado no último sábado (11). "E os 4 milhões na casinha do Renanzinho? Absurdo também? Explica?", perguntou Marone.

O Renanzinho a que Sergio Marone se refere é Jair Renan Bolsonaro, de 23 anos, quarto filho de Jair Bolsonaro, que recentemente teria alugado uma mansão para morar com a mãe, Ana Cristina Siqueira Valle, em Brasília. Um imóvel avaliado em mais de R$ 3 milhões.

Casinha Games?

Em reportagem para o site Farofafá, Jotabê Medeiros apurou que não existe registro de instituição ou empresa chamada Casinha Games - nem "um programa dos entes federativos com tal denominação".

Com a publicação no Diário Oficial, Mario Frias tuitou que se trata de um programa para capacitação técnica e profissionalizante de jovens de baixa renda:

Sem registro, o Casinha Games tem sido relacionado a Jair Renan, porque se sabe do interesse do filho 04 do presidente no setor de games. Em agosto do ano passado, ele e Mario Frias se reuniram para discutir o futuro dos "e-games", como divulgaram à época.

Choca o fato de que o dinheiro destinado ao fantasmagórico Casinha Games (mais de R$ 4,6 milhões) é equivalente a quase todo o orçamento distribuído em 2020 pelo Fundo Nacional de Cultura. Foram R$ 4,7 milhões para todas as áreas e projetos.

Recentemente, aliás, Jair Renan teve seu nome achado nas investigações do lobista Marconny Albernaz de Faria, apontado pela CPI da Covid como intermediário da Precisa Medicamentos no escândalo das vacinas. Na troca de mensagens, Faria orienta Renan a abrir uma empresa.

Comentários

Últimas notícias