RACISMO

#EmmysSoWhite: premiação 'ignora' indicados negros e é alvo de críticas

Evento aconteceu no último domingo (19), e premiou apenas dois artistas negros ao longo da noite

Samantha Oliveira
Samantha Oliveira
Publicado em 20/09/2021 às 11:10 | Atualizado em 20/09/2021 às 11:44
Reprodução/Internet
A atriz Michaela Coel foi um dos poucos artistas negros a serem premiados no Emmy Awards 2021 - FOTO: Reprodução/Internet
Leitura:

Não é novidade que a indústria cinematográfica tem o costume de manter o seu padrão de atores bem pré-estabelecido. Por muitos anos, o elenco de filmes, séries e até mesmo equipe técnica era composto majoritariamente por pessoas brancas. Esse é um dos grandes resquícios deixados pela segregação racial, que atuou fortemente nos Estados Unidos até a década de 70.

O resultado se manifesta não só nas produções em questão mas em todo circuito de Hollywood e da televisão americana. O movimento de cobrar uma diversidade maior de elencos dentro e fora dos estúdios vem crescendo, mas ainda assim demonstra falhas gravíssimas. Nesse contexto, entra o Emmy Awards 2021, a maior premiação da TV dos EUA.

O evento aconteceu no último domingo, 19, e desde então vem acendendo críticas sobre os seus principais premiados. A tag 'EmmysSoWhite' - Emmy tão branco, em tradução literal - denuncia que, das 12 categorias principais da premiação, todas elas foram vencidas por artistas brancos.

Esse fato vem como uma espécie de balde de água fria, ou melhor, "mais do mesmo" após o próprio Emmy ter se destacado em 2020 e nesta edição com o maior número de atores negros indicados nas categorias considerados principais.

E erra quem pensa que os nomes indicados não estão ali por merecer e sim por mera "diversidade de corpos". Grandes talentos como MJ Rodriguez, Billy Porter e Michael K Williams brilharam em seus respectivos papéis.

Únicos vencedores

Os destaques da noite foram para o apresentador RuPaul Charles, que venceu mais uma vez pelo reality show RuPaul's Drag Race na categoria Melhor Programa de Competição. Ele, inclusive, se tornou a pessoa negra mais premiada da história do Emmy - com 11 vitórias.

Já nas séries, Michaela Coel se destacou ao vencer na categoria Melhor Roteiro de Minissérie ou Filme para TV pelo seu trabalho em I May Destroy You. A diretora, atriz e roteirista foi uma das personalidades negras mais esnobada no circuito de premiações, já que seu trabalho foi aclamado pela grande crítica e público em geral. A abordagem de temas sensíveis, como abuso sexual, mesclado com a grande atuação da artista com um humor inesperado seria o suficiente para qualquer academia de cinema reconhecer como um grande sucesso a obra. 

Fora da temporada de premiações, o Emmy Awards encerra amargamente esse período,o colocando em xeque as discussões para os próximos grandes eventos como Oscar, SAG e Golden Globes.

A lição que fica, após alguns críticos classificarem que "voltamos para a estaca zero", é que não basta apenas mostrar que existe representatividade naquele espaço; é necessário, antes de tudo, dar condições, visibilidade e finalmente um reconhecimento para os talentos negros presentes na indústria.

 

Comentários

Últimas notícias