CASO DE JUSTIÇA

Wesley Safadão e Thyane Dantas são indiciados por dois crimes por causa de vacinas irregulares

Cantor recebeu dose em local diferente do agendado e a esposa foi imunizada mesmo estando abaixo da idade mínima permitida à epoca

Romero Rafael
Romero Rafael
Publicado em 29/09/2021 às 19:48 | Atualizado em 29/09/2021 às 20:12
Reprodução/Instagram @thyane
Thyane Dantas é casada com Wesley Safadão - FOTO: Reprodução/Instagram @thyane
Leitura:

Wesley Safadão e a esposa, a influenciadora digital Thyane Dantas, mais seis pessoas foram indiciadas pela Polícia Civil do Ceará, nesta quarta-feira (29), por irregularidades na vacinação contra a covid-19. O inquérito foi enviado ao Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE) e todos terão de responder pelos crimes de peculato e infração de medida sanitária. Com exceção de Sabrina Tavares, produtora do cantor, indiciada apenas pelo crime de infração de medida sanitária.

No dia 8 de julho deste ano, Wesley Safadão e Thyane Dantas receberam ambos as primeiras doses de vacina contra a covid-10 num posto montado em um shopping de Fortaleza, capital cearense. A vacinação, naquele momento, estava restrita a pessoas com 32 anos ou mais. Safadão - assim como a sua produtora, Sabrina Tavares - estavam dentro da faixa-etária e haviam agendado para receber a dose no Centro de Eventos do Ceará, mas foram ao posto num shopping.

Thyane Dantas, que acompanhava o marido e a produtora dele, à época com 30 anos - ou seja, abaixo da idade estipulada no calendário municipal de então, e por consequência em agendamento - também saiu vacinada.

Já no dia seguinte, a Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza instaurou um processo administrativo para investigar o caso de Thyane Dantas, que teria furado a fila. A equipe da influenciadora digital enviou nota ao jornalista Leo Dias, colunista do site Metrópoles, argumentando que ela tomou "dose de sangria", também conhecida como xepa, que é quando sobra dose de frasco já aberto e precisa ser aplicado para que não seja desperdiçado. Neste caso, no entanto, o protocolo é fazer uma busca ativa por pessoas que estejam dentro do público-alvo.

Safadão e produtora teriam escolhido vacina

A investigação da Polícia Civil apurou se Safadão e sua produtora foram ao shopping como forma de escolher o fabricante da vacina que tomariam. E identificou três servidores públicos da Secretaria Municipal de Saúde de Fortaleza que "foram responsáveis pelo sucesso da vacinação do trio". Outras duas pessoas, que não têm ligação com a Prefeitura de Fortaleza, também participaram das manobras.

"Ficou caracterizado que a vacinação das três pessoas investigadas [Wesley Safadão, Thyane Dantas e Sabrina Tavares] decorreu de um prévio ajuste entre elas, uma pessoa próxima ao cantor e uma outra pessoa, que, por sua vez, possuía contato com os três servidores públicos, descartando a hipótese de coincidência despropositada e/ou falha, a título de culpa, das pessoas que trabalhavam no local", informou a Polícia Civil em nota.

As investigações duraram dois meses. A Polícia Civil ouviu, ao todo, 19 pessoas e descartou a existência de pagamento financeiro.

Os crimes

Peculato ocorre quando há subtração ou desvio, por abuso de confiança, de dinheiro público ou de coisa móvel apreciável, para proveito próprio ou alheio, por funcionário público que os administra ou guarda; trata-se de abuso de confiança pública. A pena é de dois a 12 anos de reclusão mais multa.

Já no delito de infração de medida sanitária preventiva enquadra-se quem infringe determinação do poder público destinada a impedir introdução ou propagação de doença contagiosa. Prevê-se pena de detenção de um mês a um ano, além de multa.

Comentários

Últimas notícias