CASO DE JUSTIÇA

Mark Zuckerberg e esposa são processados por alegações de assédio e homofobia por ex-funcionários. Saiba detalhes

Ex-chefe de segurança do casal seria o culpado

Gabriela Andrade
Gabriela Andrade
Publicado em 27/10/2021 às 10:16 | Atualizado em 27/10/2021 às 10:21
Divulgação
Mark Zuckerberg e a esposa, Priscilla Chan - FOTO: Divulgação
Leitura:

Mark Zuckerberg, um dos fundadores do Facebook, e sua esposa Priscilla Chan foram processados por dois ex-funcionários por acusações de racismo e homofobia cometidas pelo ex-chefe de segurança da família.

De acordo com Business Insider, relata que o processo foi movido por uma mulher negra que atuou como ex-assistente de operações de segurança do casal, e por um homem deficiente e gay que trabalhava como gerente de operações domésticas.

 

Os dois ex-funcionários afirmam que foram vítimas de abusos por parte de Liam Booth, o ex-chefe de segurança dos Zuckerbergs.

Acusações

A mulher alega que o segurança frequentemente fazia declarações racistas em relação a ela, muitas vezes se referindo a ela como “gueto”, enquanto também dizia que ela só foi contratada por ser negra. Ela também afirma que Liam Booth a culpou por um acidente de carro “enquanto puxava as pálpebras e comentava que as mulheres asiáticas são notoriamente ruins como motoristas”, destaca trecho do processo.

Enquanto isso, o homem diz que Liam Booth fez uma série de comentários homofóbicos dirigidos a ele, até dando um tapa na virilha em um restaurante de sushi em 2018.

Defesa

Em um e-mail para o New York Post , um porta-voz dos Zuckerberg refutou as alegações: "Neste caso, quase todas as alegações nessas queixas foram levantadas primeiro por meio de um advogado, depois que ambos os funcionários deixaram a empresa, e em conexão com demandas monetárias significativas ”, disse o porta-voz Ben LaBolt.

O representante ainda acrescentou: “No entanto, quando seus advogados compartilharam essas preocupações, tanto nosso Departamento de RH quanto nosso advogado externo conduziram investigações separadas de várias semanas sobre as alegações, incluindo a realização de inúmeras entrevistas com seus colegas e a revisão de outros documentos e informações relevantes. Após essas investigações minuciosas, essas alegações simplesmente não puderam ser comprovadas. Acreditamos firmemente que esses funcionários foram tratados de forma justa e respeitosa e o escritório da família está confiante de que irá derrotar essas reivindicações.”

Siga o Social1 no Instagram, Facebook, Twitter e TikTok.

Comentários

Últimas notícias