KLARA CASTANHO

KLARA CASTANHO agradece mensagens de apoio após relato de estupro; entenda

A atriz revelou em carta aberta que foi vítima de violência sexual e entregou o bebê para adoção

Fernanda Soares
Fernanda Soares
Publicado em 27/06/2022 às 7:48 | Atualizado em 27/06/2022 às 7:55
Reprodução/Instagram
A atriz Klara Castanho - FOTO: Reprodução/Instagram
Leitura:

Neste domingo (26), Klara Castanho decidiu responder ao apoio que vem recebendo na internet, após revelar que foi vítima de estupro.

Através de uma carta aberta, Klara tornou público o fato de que engravidou depois de ter sido vítima de um estupro e entregou o bebê à adoção. No meio de todo o drama rodeando o caso, incluindo o fato da notícia ter sido vazada, forçando Klara a se pronunciar, ela agradeceu as mensagens de carinho que recebeu.

“Eu amo você, e não é dessa vida. Obrigada, Taís”, disse ela na publicação da atriz Taís Araújo, com quem atuou em sua primeira novela. “Obrigada por esse cuidado tão grande. Obrigada!”, disse ela na postagem do roteirista Bruno Mazzeo.

Klara Castanho também interagiu em uma publicação da atriz Carol Castro, com quem trabalhou em novelas. "Carol, meu amor. Obrigada por estar e sempre ter estado aqui. Te amo Só te amo mil vezes", disse Klara.

LEO DIAS PEDE DESCULPAS À KLARA CASTANHO

O jornalista Leo Dias publicou uma nota em suas redes sociais neste sábado (25), após ser cancelado por ter sido um dos principais responsáveis pelo vazamento da notícia, Léo pediu desculpas à Klara Castanho em sua coluna no site Metrópole.

"Ela foi covardemente exposta. Tenho consciência disso. Errei ao publicar qualquer linha a este respeito", assumiu Léo Dias.

PEDIDO DE DESCULPAS DE LEO DIAS À KLARA CASTANHO

Leia na íntegra o pedido de desculpas de Léo Dias à Klara Castanho

 "Há pouco mais de um mês, eu fui procurado por uma profissional de um hospital privado. Ela insistiu que precisava falar comigo para denunciar um caso atípico que ocorrera há algumas horas naquela casa de saúde.

A moça, sob a condição de anonimato, me disse que, pela primeira vez, o nascimento de uma criança não poderia ser registrado na maternidade. Nenhum dado sobre o nascimento poderia ser incluído no sistema.

Fiquei surpreso ao saber que a mulher que deu à luz aquela criança era Klara Castanho. Até aquele momento, eu não tinha noção do contexto de violência envolvendo a gestação. Meu contato com Klara não era próximo, mas, há alguns meses, a mãe dela me mandou uma mensagem carinhosa pelo Instagram e achei que eu deveria, por intermédio deste contato, mandar uma mensagem para ela no sentido de entender o que estava ocorrendo.

Àquela altura, eu não tinha noção de todos os fatos. Não sabia que ela havia sido vítima de um estupro. Klara me respondeu poucas horas depois. Chegamos a conversar por telefone.


Na conversa, Klara me relatou a violência de que foi vítima. E sua decisão de entregar a criança para a adoção. Me pediu que eu não escrevesse sobre o assunto. E eu, prontamente, me comprometi com ela a não expor a história publicamente.

O relato de Klara foi tão impactante, aquela história era tão perturbadora, que, em um ato irrefletido, me ofereci para adotar a criança. E, desde aquele momento, esta história não saiu da minha cabeça. Confidenciei isso a duas pessoas próximas.

Mais de um mês se passou. Eu permaneci sem escrever sobre a história. Mas, desde maio, fui surpreendido com vídeos e posts em que influenciadores relataram o caso ou parte dele. Evitei, assim como havia me comprometido, a revelar a identidade da atriz, mesmo tendo sido provocado a falar sobre o caso.

A postagem que fiz relatando o nascimento da criança e a adoção foi posterior à carta que Klara escreveu sobre tudo o que passara. Ela foi covardemente exposta. Tenho consciência disso.

Errei ao publicar qualquer linha a este respeito. Mesmo que a revelação da história não tenha partido de mim, mesmo que Klara tenha escrito uma carta pública narrando a dor que sentiu com toda esta violência e que eu só tenha escrito sobre o assunto após a carta dela ser publicada.

Mesmo que eu soubesse de tudo desde o início, eu não deveria ter escrito nenhuma linha sobre esta história ou ter feito qualquer comentário sobre algo que não tenho o direito de opinar. Apesar da minha proximidade com o fato, reconheço que não tenho noção da dor desta mulher. E, por isso, peço, sinceramente, perdão à Klara."

ANTONIA FONTENELLE FALA SOBRE DOAÇÃO DE KLARA CASTANHO

Comentários

Últimas notícias