Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Sem interessados, Paulo Câmara vai procurar empresas por miniarco

Blog de Jamildo
Blog de Jamildo
Publicado em 28/12/2017 às 17:36
BR-101, em Abreu e Lima (Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem)
BR-101, em Abreu e Lima (Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem)
Leitura:

O governador de Pernambuco, Paulo Câmara (PSB), reconheceu em entrevista à Rádio Jornal, nesta quinta-feira (28), que o projeto do Arco Metropolitano para destravar o trânsito na BR-101 Norte não deve sair do papel. 

Como solução, a gestão propõe um miniarco para contornar Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife. O problema é que não houve empresas interessadas no chamamento feito pelo governo e a obra que tinha início esperado para o primeiro semestre deste ano não tem data para começar.

Diante disso, Paulo Câmara afirmou que pediu ao secretário de Transportes, Sebastião Oliveira, para apresentar os projetos, que estão concluídos, a empreiteiras de grandes centros.

LEIA TAMBÉM

» Quatro empresas fazem estudos sobre o miniarco

» Governo Paulo Câmara prevê Miniarco até o fim de 2018

» Miniarco para desafogar BR-101 deverá custar R$ 160 milhões

» Priscila Krause diz que Miniarco e Arco são projetos concorrentes

"O Arco está sem nenhum tipo de caminho. Não há autorização ambiental nem para ter projeto", admitiu. A obra foi planejada há dez anos, ainda no governo Eduardo Campos (PSB), como uma solução para escoar a produção do polo de Goiana pelo Porto de Suape sem passar pelo gargalo de Abreu e Lima.

Foto: Sérgio Bernardo/JC Imagem

Sem o Arco, o miniarco foi incluído no Plano Rodoviário de Pernambuco, lançado no ano passado. 

O governador pretende viabilizar uma concessão. "A BR-101 continuaria para quem não quisesse ou não pudesse pagar pedágio", afirmou. "O Estado não entra com dinheiro, só com licenças e projetos."

A previsão inicial era de que a estrada tivesse um aporte de R$ 160 milhões da iniciativa privada, por meio de Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI). A contrapartida da gestão estadual deve ser de R$ 30 milhões em desapropriações.

Últimas notícias