Blog de Jamildo - Tudo sobre política e economia com informação exclusiva, análise e opinião
Blog de Jamildo

Política do Recife, Pernambuco e do Brasil. Informações exclusivas, bastidores e tudo que você precisa saber sobre o mundo político

Fecomércio alerta para riscos de novas restrições no Estado para saúde das empresas e empregos

jamildo
jamildo
Publicado em 02/03/2021 às 17:00
Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Foto: Arnaldo Carvalho/JC Imagem
Leitura:

A Fecomércio-PE posiciona-se sobre as novas medidas restritivas anunciadas, nesta segunda, pelo Governo de Pernambuco.

Números da covid-19 pioram, e Governo de Pernambuco amplia horário de restrição em dias úteis. Finais de semana terão apenas serviços essenciais

> Covid-19: Parques, praias e clubes serão fechados em Pernambuco nos finais de semana

> Igrejas poderão funcionar apenas de segunda a sexta, até as 20h, em Pernambuco

LEIA TAMBÉM:

> Resolução prevê auxílio-saúde de R$ 2 mil para promotores do MPPE

> Paulo Câmara determina nova data de retorno das aulas presenciais dos ensinos infantil e fundamental na rede pública

> Com alta da covid-19, sindicato dos educadores pede suspensão das aulas presenciais nas escolas de ensino médio da rede estadual em Pernambuco

> Bancada evangélica da Alepe pede para Paulo Câmara tornar igrejas serviços essenciais e permitir cultos por mais uma hora

Veja a nota oficial da entidade

A adoção de restrições deve andar lado a lado com ações de minimização de impactos econômicos e apoio às empresas

As medidas restritivas anunciadas, ontem (1/3), pelo governador de Pernambuco, Paulo Câmara, apesar de impactar os setores produtivos, transmitem sensibilidade na busca para minimizar os desdobramentos negativos na economia.

Foi anunciado que, no período de 3 a 17/3, todas as atividades econômicas e sociais consideradas não essenciais estarão proibidas, entre 20h e 5h, nos dias úteis, e não poderão funcionar aos finais de semana, durante todo o dia do sábado e do domingo. A medida é válida para todos os municípios pernambucanos.

É de conhecimento de todos que o número de infectados continua subindo e preocupa o setor público e toda a sociedade civil, visto que o percentual de ocupação nos leitos de UTI ultrapassou os 90% e obriga as autoridades a adotar medidas mais duras para reduzir a possibilidade de colapso na rede pública de saúde. Entendemos que estas ações são necessárias, mas, ao mesmo tempo, o cenário crítico atual demanda ações paliativas voltadas ao setor produtivo atingido pelas medidas.

Os impactos serão sentidos, principalmente, nos estabelecimentos comerciais e nos serviços não essenciais, que funcionam após as 20h, como shopping centers e galerias, além dos pontos turísticos que puxam o funcionamento dos serviços, como praias, bares, restaurantes, dentre outros.

Reiteramos que estas medidas, necessárias para o momento que passamos, infelizmente, impactam o faturamento e aumentam as restrições das empresas, o que pode implicar em corte de empregos e até mesmo em fechamento de estabelecimentos, com o estado já tendo apresentado um saldo negativo de 5 mil empregos e 2 mil empresas fechadas.

Destacamos que a previsibilidade é muito importante no mundo dos negócios e estes anúncios não esperados por parte do Governo potencializadores de impactos negativos na economia são muito nocivos ao segmento do comércio, um dos maiores geradores de renda e de emprego no país.

Os gestores de políticas públicas voltadas ao combate da pandemia reduziriam tal impacto caso convidassem as instituições de representação empresarial para compor a equipe de tomada de decisão do Governo, que poderiam contribuir fornecendo dados econômicos reais e relevantes para as medidas restritivas.

Desta forma, a Fecomércio-PE acredita que, para combater efetivamente o problema, são necessárias ações mais enérgicas voltadas à amenização da crise econômica, buscando elevar a resistência das empresas, dos empregos e da arrecadação pública.

Por fim, a Fecomércio-PE reitera os pedidos, pleiteados ao Governo de Pernambuco, de ações urgentes voltadas ao empresariado, objetivando a minimização dos impactos gerados pelas medidas governamentais, a exemplo de:

1 – Concessão de prorrogação de prazo para pagamento do ICMS, especialmente dos contribuintes optantes pelo Simples Nacional;

2 – Suspenção de medidas administrativas de cobrança da dívida ativa, tais como inscrição do débito e encaminhamento da solicitação de ajuizamento de execução fiscal à Procuradoria Geral do Estado;

3 – Aceleração do processo de vacinação em massa da população pernambucana;

4- Acesso a linhas de crédito aos micros e pequenos empresários.

LEIA TAMBÉM:

> Amazon e AWS abrem vagas de estágio com salário de R$ 2.300. Há vagas no Recife

> Após iniciar negociação para compra direta de vacinas, Paulo Câmara reforma orçamento da Saúde com R$ 70 milhões para ‘aquisição de medicamentos’

> Novo auxílio emergencial deve ser de R$ 250, diz presidente da Câmara. Saiba até quando

> Governadores rebatem Bolsonaro e pedem divisão de tributos com estados para combate à covid-19

LEIA TAMBÉM:

> Covid-19: Justiça de Pernambuco suspende atividades presenciais até 10 de março

> Após STF liberar estados a comprarem vacinas, Paulo Câmara vai a Brasília na terça para tratativas com fabricante da Sputnik V

> Miguel Coelho se reúne com frente de prefeitos e discute consórcio para compra de vacinas contra covid-19

> Covid-19: ocupação de UTI atinge 91% nas redes pública e privada, e Governo de Pernambuco abre novos leitos

VEJA TAMBÉM:

> Com medo do coronavírus, vereadores do Recife suspendem atividades presenciais

> Bancada evangélica quer igrejas e templos enquadrados como serviço essencial no Recife

> Multas ambientais podem ser usadas pelo Governo do Estado para compra de vacinas contra a Covid-19

> Um ano depois, 250 mil mortos

Últimas notícias